22/06/2017

Capítulo 35. Sweetheart



Joseph mexeu-se na cama e franziu o cenho quando sentiu o lugar ao seu lado vazio. Ele abriu os olhos e suspirou quando sentiu o cheiro dela no travesseiro ao lado. Joseph sorriu lembrando-se da noite anterior e levantou-se indo até o banheiro, fez sua higiene matinal, vestiu uma samba canção e foi até a cozinha. Aquela mulher só podia ser a visão do paraíso! Demi estava vestindo apenas uma regata branca e uma calcinha preta, ela estava de costas e manuseava o fogão sem habilidade alguma. Ela xingava baixinho toda vez que o óleo quente espirrava para fora da panela. Joseph ficou um tempinho observando ela com um sorriso no rosto, depois ele se aproximou e a abraçou por trás depositando um beijinho no pescoço dela. — Bom dia! — Demi sorriu e retirou a frigideira com ovos mexidos do fogo.

— Bom dia, amor. — Ela colocou os ovos sobre os pratos e virou-se para abraçar Joseph pelo pescoço. — Eu estava tentando fazer um café da manhã pra você mas como você pode ver, eu não sou muito boa na cozinha. — Joe riu e ela colou seus lábios sorrindo também. — Não ria de mim. — Pediu com os lábios ainda colados aos deles, Joe lhe deu um selinho que logo se transformou em um beijo mais intenso e demorado. Demi fechou os olhos e acariciou os cabelos da nuca dele enquanto sentia suas línguas se entrelaçarem.

— Acho que alguém queimou as torradas. — Disse separando o beijo ao sentir o cheiro de queimado invadir o chalé. Demi xingou alto e bufou ao ver que a tentativa de fazer um café da manhã caprichado para Joseph tinha sido totalmente frustrada. — Não fica assim, meu amor. — A culpa era toda dele por ficar lhe distraindo com aqueles belos par de olhos esverdeados. — Sente-se que eu vou preparar um café da manhã caprichado pra você. — Ele estava se gabando? Demi cruzou os braços e arqueou a sobrancelha.

— Isso não é justo. — Resmungou ao vê-lo cortar as frutas em cubos com agilidade. Joe riu ao ouvi-lá resmungar. Em menos de dez minutos Joseph havia preparado uma mesa farta, havia pães e frios, frutas, panquecas e iogurte. — Tira esse sorrisinho de deboche do rosto, meu amor. Você trabalha com isso e é experiente. — Disse apontando o garfo na direção dele, Joe riu e se inclinou para encaixar seus lábios em um beijo rápido.

— Querida, você não é boa na cozinha desde que nos conhecemos. — Demi o fuzilou com os olhos e Joe sorriu cínico apenas para provocá-la. — Mas mesmo assim eu estou muito agradecido por você ter levantado mais cedo pra tentar fazer um bom café da manhã pra mim. — Falou segurando uma das mãos dela e a puxando para sentá-la em seu colo. — O que vale é a intenção, meu amor. — As mãos deles desceram automaticamente para o bumbum dela. Demi sorriu e o provocou espalmando o peito dele com as mãos.

— Bom... — Ela umedeceu os lábios e mordeu o pedaço de morango que ele colocou em sua boca. — Eu acho que posso te recompensar por isso. — Sorriu maliciosa e mordeu o lábio inferior dele de forma provocativa. Instantaneamente Joe começou a dar sinal de vida e Demi sorriu satisfeita ao perceber que não precisava de muito para deixá-lo naquele estado.

— E que recompensa seria essa? — Sussurrou no ouvido dela entrando na brincadeira. Demi mordeu o lábio inferior e arranhou levemente as costas dele. Porque ele tinha que ser tão gostoso?

— Tenho muitas ideias na minha mente. — Disse e encaixou seus lábios em um beijo quente e cheio de desejo, as coisas que passavam em sua mente não eram nada decentes. As mãos de Joseph desceram até o bumbum dela e alisou aquela região com vontade. O corpo dela era tão chamativo que ele não conseguia manter suas mãos por muito tempo no mesmo lugar, aquela mulher era tudo o que um homem precisa e mais. Ele subiu as mãos por dentro da regata branca e massageou os seios dela fazendo-a gemer baixinho. — Gostosa! — Falou ofegante assim que separou o beijo. Quão sortudo ele era por ter uma mulher daquelas só pra si? Joe segurou a barra da regata dela e puxou para cima, deixando-a vestida apenas com a calcinha preta. Ele foi descendo os beijos do pescoço dela até os seios, Demi segurou o cabelo dele com as mãos e o incentivou a continuar.

— Tira isso. — Pediu puxando a samba canção dele pra baixo, Joseph a ajudou com o processo e levantou caminhando com ela até a cama. As preliminares foram de enlouquecer mas não duraram muito, logo eles estavam com os corpos encaixados um no outro. Joseph se movia sem muita pressa, a sensação de ter seu corpo abrigado ao dela era maravilhoso e ele queria que aquela sensação durasse. — Eu amo você, Joe. — Demi disse entre gemidos, eles trocaram um beijo apaixonado e Joe entrelaçou suas mãos.

— Ahh... — Gemeu alto quando ele acertou o ponto certo! Aquele homem sabia como fazer uma mulher delirar. Ela agarrou o lençol da cama e suspirou de tanto prazer que estava sentindo.

— Você é a mulher mais linda que eu já vi! — Demi abriu os olhos e sorriu quando se deparou com o par de olhos verdes lhe contemplando, ela adorava quando ele lhe olhava daquela maneira, ela se sentia bonita e amada. A posição se inverteu e Demi ficou por cima, ela apoiou as mãos no peito dele para mover-se com mais pressa e Joe lhe segurou pelo bumbum.

— Eu... — Demi umedeceu os lábios e tentou formular a frase em sua cabeça mas não conseguiu. Ela estava totalmente perdida por aquela sensação de prazer. Ela fechou os olhos e jogou a cabeça pra trás sentindo o orgasmo chegar. Joseph começou a se movimentar com mais pressa, e ela acabou se rendendo àquela sensação de puro prazer e satisfação. Joseph também não demorou para chegar ao seu limite! Demi caiu por cima dele e fechou os olhos quando foi abraçada pela cintura.

Aquela sensação era tão boa! Eles ficaram deitados de conchinha por um longo tempo, o silêncio tomava conta do lugar mas não era incomodo. Demi virou-se para olhar para Joe e sorriu quando ele colocou algumas mechas do seu cabelo atrás da orelha. Ela selou seus lábios em um beijo simples e rápido. — Ontem você disse algo sobre Cristina ser sua mãe, isso é sério? — Perguntou após um tempinho! No dia anterior ela estava ocupada demais o abrigando entre suas pernas para pensar naquilo. Joseph assentiu e Demi acariciou os cabelos dele.

— Hm.. isso é sério! No dia do casamento de Ellie ela conversou comigo, disse que me tiraram dela por causa de um acidente e desde então vem me procurando. Eu ainda não sei muito sobre isso, foi uma semana fodida pra mim e ainda não coloquei minha cabeça completamente no lugar mas pretendo conversar com ela o mais breve possível. Apesar de tudo, ela não me parece uma estranha, desde que coloquei os olhos nela no bistrô eu tive a sensação de que a conhecia de algum lugar.

— Ela tem os olhos iguais os seus. — Demi disse lembrando de como os olhos esverdeados chamavam atenção. Ela alisou a barba dele e lhe deu um selinho demorado. — Eu estou aqui para apoiá-lo em tudo o que precisar, ok? — Joe assentiu e beijou-lhe a bochecha. — Como você se sente sobre isso?

— Eu não sei. — Fez uma careta e Demi riu baixinho. — Eu quero entender essa história primeiro, entende? Quero saber o porquê de ter sido abandonado naquele orfanato, saber de onde ela veio... tudo vai depender do que aconteceu.

— O que acha de fazermos uma viagem?

— Uma viagem? — Demi assentiu e sentou-se na cama cobrindo os seios com o lençol.

— Sim, uma viagem! Eu, você e Sophia. Acho que um tempinho longe de tudo e de todos vai fazer bem pra nós e pra esse recomeço, eu quero ficar longe de todos os problemas. Eu vou voltar pra minha rotina louca em menos de quinze dias e quero aproveitar esse tempo com você e com Sophia. — A ideia de ficar longe com as duas mulheres da sua vida lhe agradava e muito!

— E pra onde você quer ir? — Perguntou sentando ao lado dela. Ele beijou seu ombro descoberto e Demi sorriu.

— Pra um lugar bem longe. — Joe assentiu e se inclinou para beijá-la.

— Nós vamos pra onde você quiser, meu amor. — Ela sorriu e segurou o rosto dele com as duas mãos intensificando ainda mais o beijo. Joseph sorriu e separou o beijo com selinhos demorado. — O que acha de irmos tomar um banho? — Demi assentiu e segurou a mão dele. Juntos, eles caminharam até o banheiro. Joe ligou o chuveiro e adentrou no box enquanto Demi fazia um coque no cabelo para não molhar. — O que acha de irmos ao zoológico com Sophia depois do almoço? — Perguntou quando ela adentrou no box e o abraçou por trás.

— Eu acho uma ótima ideia, Sophia vai adorar. — Sorriu lembrando-se da filha, estava apenas uma noite longe dela e já estava morrendo de saudade. — Miley mandou uma mensagem e disse que todos vão se reunir na casa da minha mãe para o almoço.  — Demi falou afastando-se para alcançar o sabonete líquido e a esponja, Joe havia pensado em tudo.

— Será uma ótima maneira de contar sobre nós.

— Nossa família vai ficar feliz. — Disse sorridente. Ela não tiraria aquele sorriso do rosto tão cedo, ela estava feliz. Joseph assentiu enquanto tirava a espuma do shampoo de seu cabelo. — Amor, você falou com Elisa depois de tudo? — Demi perguntou um pouco curiosa, ela queria saber se ele tinha terminado oficialmente as coisas com Elisa.

— Não, naquele dia eu conversei com ela e soltei algumas verdades na cara dela. Tenho certeza que ela sabe que nós não temos mais nada, ela não é burra. Eu tentei procurá-la para terminar tudo oficialmente mas ela estava fazendo uma viagem à trabalho. As coisas entre nós era apenas sexo e nada mais. — Demi assentiu e deslizou a esponja pelas costas largas dele.

— Eu queria muito encontrá-la na rua apenas para ter o prazer de esfregar nossa felicidade na cara ela e quem sabe dar uns tapas naquela fuça sínica. — Falou irritada e Joe riu, ela era linda até quando estava brava. — Eu estou falando sério, ter meus cinco dedos marcados na cara dela iria me satisfazer muito.

— Deixa isso pra lá, meu amor. Não vale à pena desperdiçar seu tempo com isso.

— Eu não vou atrás dela mas se eu esbarrar com ela por aí não se assuste quando ela for parar na mídia dizendo que está me processando pelo estrago que eu fiz naquele rostinho.

— Isso só vai te trazer dor de cabeça, amor. Deixa isso pra lá, vamos aproveitar o momento, nosso momento. — Demi assentiu mas não iria mudar de ideia, Elisa já havia prejudicado muito a sua vida e ela não deixaria aquilo passar. Pelo menos um tapa naquele rosto ela daria. Eles não demoraram muito no banho, em menos de trinta minutos já estavam trocados e prontos para irem até a casa de Dianna.


Casa da Dianna
12:30 


Dianna cumprimentou Selena com um beijo e um abraço e segurou a travessa com torta de morango que Selena havia trago. Assim que avistou a pequena Sophia, Daniel correu até a garotinha e a abraçou fortemente, estava morrendo de saudades da amiguinha. Selena e Dianna sorriram com o carinho dos pequenos, era algo tão puro e bonito de ver. 

— Joseph já chegou? — Selena perguntou com tamanha curiosidade, ela queria saber como havia sido as coisas entre ele e Demetria. 

— Ainda não, ele deve estar chegando com Demi. — Disse assim que elas adentraram na cozinha. Miley e Selena se entreolharam se perguntando como ela sabia. Dianna riu junto com Paul e colocou a travessa de torta em cima da mesa, eles achavam que ela era boba? — Ah meus queridos, meus olhinhos vêem tudo! É a primeira vez que Demi passa a noite fora de casa, com quem mais ela passaria se não fosse com Joseph? Meu coração de mãe não se engana. 

— As coisas entre eles devem ter sido boas já que ainda não deram noticias para dizer se estão vivos ou se acabaram se matando. — Miley falou passando o dedo pelo recheio da torta discretamente para sua mãe não ver.

— Se eles supostamente se mataram, como vão ligar pra dar essa notícia? — Nick perguntou pensativo enquanto tomava um gole do seu refrigerante. Selena, Liam e Paul riram porque aquilo fazia sentindo mas Miley acabou revirando os olhos. 

— Você entendeu, seu idiota. 

— Não precisa se estressar, foi apenas uma observação. — Disse em sinal de rendição. 

— Uma observação que ninguém pediu. — Selena riu e abraçou Nicholas pela cintura, ela achava tão engraçado o modo com Nick fazia de tudo para irritar Miley. Era como dois irmãos que viviam provocando um ao outro. 

— Liam, porque você não leva Miley até um terapeuta? Talvez ele descubra de onde vem esse estresse todo. — Disse com um sorriso debochado, Selena lhe deu um tapa no braço e ele riu esfregando o local agredido. 

— Você vai ver de onde meu estresse vem quando eu meter minha mão na sua cara, seu palhaço. 

MAMÃE, PAPAI! — Sophia gritou quando avistou Joseph e Demetria na porta da cozinha com as mãos entrelaçadas, os olhares foram direcionados à eles e Sophia correu desajeitada até os pais. 

— Boa tarde, pessoal. — Demi disse um pouco tímida. Ela soltou a mão de Joe e se abaixou para acolher sua garotinha em seus braços. — Oi meu amor. — Beijou a bochecha da filha e a abraçou, estava com saudades. 

— Pelo visto a noite foi boa já que vocês não ligaram pra dar notícias. — Demi ignorou o comentário da irmã mesmo com as bochechas coradas. 

— Todos nós queremos saber: vocês voltaram? — Liam perguntou sem rodeios. Ele também estava ansioso para saber. 

— Sim, nós voltamos. — Joseph sorriu e confirmou aquilo dando um selinho em Demi. Todos gritaram em comemoração e Nick até abriu um champanhe para um brinde, finalmente eles haviam se acertado. 

— Eu estou tão feliz por vocês. — Selena disse abraçando Demi fortemente. Ela era uma boa pessoa e merecia ser feliz. 

— Obrigada, Sel. E obrigada por ter ajudado Joseph com tudo, foi tudo perfeito! Você é uma pessoa maravilhosa e eu estou feliz por tê-la na minha vida como amiga. — Falou retribuindo o abraço na mesma intensidade. 

— Eu estou orgulhoso, filho. — Paul sorriu e beijou a testa do seu garoto. — Eu estou orgulhoso por você ter finalmente feito a coisa certa, eu espero que vocês sejam muito felizes e que aprendam diariamente um com o outro. — Joseph assentiu e abraçou o pai fortemente. 

— Eu amo você, papa. E sou muito grato por ter você como meu pai, você é meu maior presente na vida e tudo o que eu sou hoje eu devo à você, somente à você. 

— Não fale essas coisas se não eu vou chorar. — Disse emocionado. Joe era a sua única família e sempre daria o seu melhor por ele. — Eu amo você, filho. — Enquanto Joe e Paul conversavam Demi se aproximou da mãe a abraçando por trás. Dianna havia acabado de retirar as batatas assadas do forno e agora estava terminando de temperar a salada. 

— Diga para nós: como foi a noite de vocês? — Dianna perguntou com um sorriso malicioso no rosto. As bochechas de Demi ficaram vermelhas de tanta vergonha.

— Você podia agir como uma mãe normal e apenas dizer que está feliz por mim. — Miley riu e se aproximou delas, oras, ela também queria saber os detalhes. 

— Ah querida, você sabe que eu não sou uma mãe normal. — Riu e mexeu a salada com um garfo. Ela sabia disso e como sabia.


Flashback on


Demetria e Dianna estavam no carro voltando para casa. Elas haviam acabado de sair do ginecologista e Demi estava vermelha de tanta vergonha. Ela havia confessado há poucos dias que havia tido sua primeira vez com Joseph e Dianna fez questão de levá-la ao ginecologista, como se não bastasse passar vergonha ao responder as perguntas inconvenientes que o Doutor perguntava, Dianna fazia questão de reforçar tudo o que o Doutor dizia. 

— Querida, não precisa ficar emburrada, eu estou fazendo isso pro seu bem. — Dianna disse desviando brevemente o olhar da estrada para encarar a filha emburrada no banco ao seu lado. 

— Fala isso porque não é você que está passando vergonha. — Cruzou os braços e fechou ainda mais a cara quando Dianna riu da sua cara. 

— Ir ao ginecologista é algo normal, Demi. Toda mulher passa por isso, cedo ou tarde mas passa. — O silêncio se instalou no carro por breve minutos. Dianna olhou para a filha e sorriu de modo malicioso. — Eu estou curiosa pra saber como foi que aconteceu, você não quer me contar? — Ela realmente estava curiosa pra saber os detalhes.

— Não. — Demi falou curta e grossa. 

— Eu aposto que pras suas amigas você contou até os mínimos detalhes. Você sabe que pode contar qualquer coisa pra mim, não sabe? Eu também sou sua amiga. — Demi respirou fundo e encarou a paisagem do lado de fora da janela. 

— Nós jantamos à luz de velas, assistimos um filme e... tudo aconteceu. Ele foi romântico, me tratou com carinho, me passou segurança e não me forçou à nada. — Disse com as bochechas coradas enquanto os flashes de uma das melhores noites da sua vida passava pela sua cabeça. 

— Doeu? 

— MÃE! — Demi gritou envergonhada. Era embaraçoso conversar sobre aquilo com a sua mãe, céus, como era. 

— O que? Isso é super normal, Demi. Tem mulheres que sentem muita dor e outras que não sentem, na minha primeira vez, eu... 

— Mãe, eu realmente não quero saber. Podemos só... acabar com esse assunto constrangedor? — Dianna assentiu e riu. Sua garotinha estava virando uma mulher. 


Flashback off


O almoço passou-se entre conversas animadas e risadas. Demi e Joe pareciam estar perdidos em um mundo apenas deles, eles sorriam o tempo todo e trocavam selinhos. Depois do almoço eles ficaram na sala conversando sobre coisas aleatórias. Todos estavam felizes e satisfeito por finalmente ter a família completa e a paz reinando entre eles. 

— Bom, eu e Demi estamos indo. — Joseph disse levantando-se. Demi também levantou e pegou a filha nos braços. 

— Ahh, mas já? — Dianna murmurou, estava tão bom ter a família toda junta. 

— Sim, nós vamos fazer um passeio com Sophia. — Demi disse sorrindo, ela estava feliz por Joseph ter aceitado sua garotinha como uma filha, aquilo era tão importante pra ela e ele nem tinha noção. 

— Bom, então divirtam-se. — Eles assentiram e se despediram de todos com um beijo e um abraço.

Assim que chegaram na casa de Demi, eles subiram diretamente para o quarto. Sophia sorria e chamava pelo Joe há todo minuto, a garotinha parecia estar radiante por ter a presença dele constantemente em sua vida. 

— Pode ir se trocar, amor. Eu dou banho nela. — Demi arqueou a sobrancelha e sorriu. 

— Você já fez isso antes?

— Na verdade, não. Mas não deve ser um bicho de sete cabeças. 

— Tudo bem. — Demi assentiu e sorriu, seria divertido vê-lo tentar dar banho e trocar Sophia. Ela separou a roupa da garotinha e deixou em cima da cama, depois foi para o closet se trocar. Demi optou por algo simples e confortável:  Jeans surrado e uma camiseta cinza! Ela calçou suas rasteirinhas e procurou pelo óculos escuro. Assim que voltou ao quarto, se deparou com Sophia deitada na cama e Joseph tentando ler na embalagem de fraudas como aquilo funcionava. — Algum problema? — Perguntou se aproximando dele. Sophia apontou para Joseph e riu enquanto brincava com seu patinho. 

— Como vocês conseguem colocar esse troço? — Coçou a nuca e olhou para Demi completamente perdido, pelo menos o banho ele havia conseguido dar. Demi gargalhou e balançou a cabeça em negação. 

— Não vou julgá-lo porque no começo eu também achava um bicho de sete cabeças. — Riu lembrando-se das muitas vezes que pesquisou no google "como trocar fraudas". Em menos de cinco minutos, Sophia já estava trocada e vestida. A garotinha estava vestindo um macacão florido e uma sandália, Demi queria que sua filha ficasse confortável para brincar e correr. 

— Como você consegue? — Perguntou se referindo ao fato dela ter trocado Sophia tão rápido. Demi deu os ombros e pegou sua bolsa preta. 

— É algo natural, amor. Com o tempo você também aprende. — Joe assentiu e colocou a mochila de princesas nas costas. Demi riu e deu um selinho nele. — Você está maravilhoso com essa mochila rosa. — Joe fez uma careta e a abraçou pelos ombros.


***


Assim que eles chegaram ao Zoológico, Sophia quis correr pelo local. Joe colocou a garotinha no chão e observou a menina caminhar pelas pessoas, ela era tão fofa que atraía a atenção de todos em sua volta. Demi entrelaçou sua mão com a de Joseph e eles caminharam juntos até o local aonde ficava os animais. O primeiro bicho que eles viram foi a girafa e Sophia parecia encantada com o tamanho daquele animal, ela olhava pra cima encantada e apontava.

— É a girafa, meu amor. — Joe pegou a garotinha e a colocou sentada em volta do seu pescoço. Ela gargalhou alto e tentou alcançar a girafa levantando os bracinhos.

— Mamãe. — Sophia chamou por Demi sem tirar os olhos das enormes girafas. Demi sorriu feliz ao ver a felicidade da filha e abraçou Joe pela cintura. Eles caminharam pelo zoológico observando cada animal que havia ali, Sophia ficava animada com cada bichinho que ela via.

— Esse é o elefante, querida.

— "Fante?" — Sophia tentou repetir, ela levou um leve susto quando o elefante levantou a tromba mas riu quando ele espirrou água molhando algumas pessoas que estava ali em volta. Havia várias e várias espécies diferentes de animais, Sophia ficava animada e encantada com cada um deles. A pequena era tão esperta e tentava imitar os sons que os animaizinhos faziam, ela até brigou com os macaquinhos que estava pulando de galhos em galhos. Depois de tanto andarem pelo enorme zoológico e visitarem tantos bichos, eles foram até o espaço de alimentação e sentaram em volta de uma das mesas para fazerem os pedidos.

— Você está gostando do passeio, meu amor? — Demi perguntou para Sophia. A garotinha assentiu e apontou para o rapaz que estava vendendo algodão doce de várias cores. — Você quer?

— "Quelo". — Joe riu e se levantou com a garotinha para comprar o algodão doce. Enquanto estava na mesa sozinha, Demi percebeu que havia algumas pessoas que olhavam pra ela com certa curiosidade e outras até apontavam o celular tirando fotos descaradamente, Demi revirou os olhos e colocou os óculos escuros novamente. Joseph não demorou muito pra voltar, Sophia segurava um algodão doce azul e já tinha a boca suja.

— Aconteceu alguma coisa? — Joe perguntou a olhando, Demi negou e sorriu.

— Não, pode ficar sossegado. — Ela não iria estragar o momento deles por causa de pessoas inconvenientes. Eles fizeram os pedidos e mesmo com o estabelecimento lotado, não demorou pra chegar. — Amor, o que você acha de viajarmos para Bora Bora? É uma ilha longe o suficiente de pessoas inconvenientes, tenho algumas amigas que já viajaram pra lá e elas disseram que lá ninguém invade a privacidade das pessoas.

— Eu já disse que vou pra qualquer lugar com você, basta escolher o destino. — Demi sorriu e se inclinou para dar um breve selinho nele. — Não importa o lugar, estar do seu lado é tudo o que importa.  — Demi sorriu e encostou a cabeça no ombro dele. A felicidade era tanta que ela não estava conseguindo se conter, o enorme sorriso em seus lábios demonstravam perfeitamente como ela estava se sentindo feliz e realizada.


--

eu sei que disse que a ia ter troca de tapas entre demi e elisa nesse capítulo mas eu não consegui encaixar essa parte no capítulo, eu juro que tentei mas não consegui, sinto muito por desapontar vocês. eu espero de coração que vocês gostem do capítulo, eu particularmente gostei muito.
enfim, respostas aqui | volto assim que puder, bjs.



homão da porra

17/06/2017

Capítulo 34. On Fire


UMA SEMANA DEPOIS
CASA DA DEMI, 04:30 DA TARDE


Joseph respirou fundo algumas vezes antes de sair do carro e tocar a campainha da casa luxuosa. Fazia uma semana que não tinha um contato direto com ela, sempre a via de longe e quando tentava se aproximar ela fugia. Agora não tinha como ela fugir, tinha? Quando a porta se abriu o ar fugiu dos seus pulmões. Ela estava tão fofa vestindo um moletom maior do que ela, uma regata preta e os pés descalços. Demi franziu o cenho quando o viu ali parado em sua porta, ele estava tão lindo apesar de ser visível o cansaço nos olhos dele. — Joseph? O que... o que você está fazendo aqui? 

— Será que podemos conversar? — Demi suspirou e assentiu tentando controlar as batidas do seu coração, ela deu espaço para ele adentrar, seu coração estava tão acelerado e a maldita esperança de que eles iriam voltar estava presente novamente, depois de dias e dias tentando se convencer de que não havia mais esperança para eles. — É uma bela casa. — Elogiou olhando em volta. Demi agradeceu e indicou o sofá para ele sentar. Ela havia se mudado há apenas dois dias, ainda estava tentando se adaptar à sua nova rotina mas estava se saindo muito bem, Sophia estava adorando a nova casa e ela também. 

— Sobre o que você quer conversar? 

— Eu... eu vim me desculpar. — Suspirou. — Eu te magoei e eu me arrependo. Se eu pudesse pegaria de volta tudo o que eu disse! Naquele momento eu pensei só em mim, eu estava passando pelo inferno e acabei descontando tudo em você. Eu sei que a minha atitude foi egoísta e eu estou me sentindo um lixo por isso, eu não consigo dormir à noite, eu não tenho paz, Demi. — A voz dele estava embargada e ele estava conseguindo quebrar todas as correntes que ela estava colocando em volta do seu coração. Seus olhos estavam avermelhados e ela via a verdade ali. — Meses atrás você foi até a minha casa e me pediu um segunda chance, agora chegou a minha vez, eu estou pedindo uma segunda chance. Uma segunda chance pra mim, pra nós. Eu quero recomeçar, quero construir uma família com você, ser um pai pra Sophia. — Demi limpou as lágrimas que rolavam pela sua bochecha e suspirou.

— Você quebrou meu coração, Joseph. Eu estava feliz e cheia de esperanças mas você me magoou na primeira oportunidade que teve. Um relacionamento não é apenas flores, na próxima discussão que tivermos você vai jogar o meu passado sujo na minha cara e depois vai vim com essa carinha de anjo me pedir perdão? Eu sei que você está arrependido, eu vejo isso nos seus olhos mas eu estou com medo, estou com medo de me entregar e acabar quebrando a cara como sempre acontece. — As palavras quase não saíram por causa da sua voz embargada. Joe se aproximou dela e entrelaçou suas mãos, se ele perdesse aquela mulher, não sabia o que seria capaz de fazer.

— Eu sou um filho da puta egoísta, eu sei que eu sou e eu não te mereço, você é boa demais pra mim, você é mais do que eu mereço, mas eu prometo... olhe pra mim. — Ele segurou o rosto dela com as duas mãos e encarou os olhos amendoados. — Eu prometo que vou melhorar, você me faz querer ser um homem melhor e eu prometo à você que eu vou ser o melhor amante, namorado ou marido que você já teve! Eu amo você, Demetria. Eu amo você e não quero te perder. — Demi passou os braços em volta da cintura dele e o abraçou fortemente, ela chorou como uma criança nos braços dele. Ela despejou toda sua raiva, magoa, medo e inseguranças ali no peito dele.

— Por favor, não me machuca mais. — Ele assentiu e beijou o topo da cabeça dela. Eles ficaram ali abraçados por um longo tempo, era bom estar nos braços dele novamente e ela queria ficar ali pra sempre. — Eu amo você. — Disse baixinho e se não estivesse tão perto dela, Joe com certeza não teria escutado. Ele se afastou um pouco apenas para selar os lábios nos dela. Demi passou os braços pelo pescoço dele e correspondeu o beijo na mesma intensidade. O beijo era delicado mas cheio de amor. Demi sorriu entre o beijo e mordeu o lábio inferior dele. — Eu amo você. — Disse novamente sentindo seu coração dar cambalhotas dentro do peito. Ela ainda não estava acreditando que aquilo realmente estava acontecendo.

— Eu também amo você. — Joe sorriu e delicadamente colocou uma mecha do cabelo dela atrás da orelha. A pequena Sophia que dormia no cercadinho que havia perto do sofá acordou resmungando. Ela ficou em pé dentro do cercadinho e abriu um enorme sorriso quando viu Joseph.

— Papai! — Ela gritou e esticou os braços para Joseph pegá-la. Joe beijou a testa de Demi e se aproximou da garotinha, ele a pegou no colo e beijou-lhe a bochecha demoradamente, estava sem vê-la à mais de uma semana e já estava estava sentindo tanta saudade.

— Ela sentiu sua falta. — Demi disse se aproximando deles. — Ela acordou duas vezes ontem à noite chamando por você e eu tive que ter o pulso firme pra não te ligar implorando pra vir até aqui. — Falou sentando no sofá ao lado dele, ela entrelaçou suas mãos e encostou a cabeça no ombro dele.

— Eu também senti falta de vocês e se você tivesse ligado eu tinha vindo. — Demi fechou os olhos e sorriu quando ele alisou seus cabelos e beijou-lhe a testa.

— Eu sei que sim.

— Eu tenho uma surpresa pra você. — Demi levantou a cabeça e o encarou curiosa. Surpresa?

— Surpresa? Que surpresa? — Perguntou curiosa, Joe riu e lhe deu um selinho.

— É uma surpresa, amor. Eu não posso falar o que é. — Demi fez uma careta

— Só uma dica, por favor. — Joe riu com a curiosidade dela e negou com a cabeça. — Você é uma pessoa muito má. — Ela se inclinou e beijou os lábios dele novamente. Ela estava se sentindo feliz e realizada. Sophia resmungou ao ver que a mãe tinha a atenção de Joseph e tentou empurrá-la com as mãozinhas. Demi separou o beijo dando risada.

— Parece que eu vou ter que disputar sua atenção com essa pequena. — Disse vendo Sophia beijar a bochecha de Joseph e abraçá-lo pelo pescoço. Ela sorriu e sentiu-se a pessoa mais completa do mundo. Sophia e Joseph juntos eram a visão do paraíso.

— Você vai me dividir com sua mãe, Soph? — Joe perguntou olhando para a garotinha de pé em seu colo. Ela riu sapeca e negou com a cabeça. Demi gargalhou e beijou a bochecha da filha. Eles ficaram por ali um longo tempo apenas rindo, trocando beijos e carinhos. Depois, o celular de Joseph tocou e ele precisou voltar para o bistrô.

— Eu queria passar o resto dia com você. — Demi falou manhosa o abraçando pela cintura. Eles estavam na porta e Joe segurava Sophia com um braço enquanto o outro estava em volta da cintura da Demi.

— Eu também queria mas eu preciso ir ajudar meu pai. — Demi assentiu e ficou na ponta do pé para alcançar os lábios dele. — Eu venho te buscar às oito, o.k? — Ela assentiu e ele lhe deu mais um selinho.

— O que eu devo vestir? Vestido? Calça? Short?

— Vá do jeito que se sentir melhor, você fica linda de qualquer jeito. — O sorriso dela ia de orelha à orelha. Demi alisou o rosto dele e admirou os olhos verdes que lhe levavam à loucura. Eles se beijaram novamente e separaram o beijo com selinhos. — Nos vermos mais tarde. — Ela assentiu, lhe deu mais um selinho e finalmente o deixou ir. Assim que fechou a porta, Demi suspirou sentindo-se a pessoa mais feliz do mundo, agora sim as coisas estavam caminhando para o lugar certo, como deveria ter sido desde o início. Ela procurou pelo celular e assim que achou solicitou uma chamada de vídeo para Miley.

— Eu preciso da sua ajuda. — Demi falou jogando-se no sofá enquanto Sophia brincava com alguns brinquedos que estavam espelhados pelo tapete.

— Com o que? — Perguntou coçando os olhos, ela estava na casa de Liam e havia dormido durante toda a tarde, estava aproveitando seu dia de folga.

— Joseph!

— Vocês dois servem pra ser protagonista de uma novela. — Disse revirando os olhos. — O que diabos aconteceu dessa vez?

— Nós voltamos, Mi. — A surpresa foi tanta que Miley até deixou o celular cair.

— Como assim voltaram? — Perguntou após se recompor, aquela notícia havia sido demais pra ela.

— Ele veio aqui em casa hoje e me pediu desculpas, nós conversamos e acabamos decidindo tentar novamente. Nós ainda não tivemos uma conversa franca como tudo vai ser daqui pra frente mas nós vamos sair hoje à noite e acho que vamos conversar sobre tudo... sabe? Eu estou feliz, Mi. Nós passamos algumas horas juntos e Sophia adorou passar esse tempo com ele.

— Finalmente, né? Eu estava quase colocando vocês dois trancados em um quarto e só ia abrir quando vocês se resolverem. Mas e aí, rolou um sexo de reconciliação? — Perguntou maliciosa e Demi revirou os olhos, porque Miley tinha que ser tão curiosa?

— Ainda não. — Disse tímida. — Nós vamos sair hoje e ele disse que tem uma surpresa pra mim. Preciso da sua ajuda com Sophia, tem como você ficar com ela?

— Claro, daqui à pouco eu chego aí pra ficar com ela e te ajudar com a roupa. — Demi assentiu. — Ah, você sabia que suas fotos e as fotos de Joseph estão circulando a internet? — Ela havia entrado em um site de fofoca qualquer um pouco mais cedo quando se deparou com as fotos da irmã e Joseph se beijando no casamento de Ellie.

— O quê? — Perguntou franzindo o cenho.

— Sim, as fotos de vocês se beijando no casamento. Os sites de fofocas não falam em outra coisa além do seu suposto namorado e das fotos de Bradley.

— Bradley? Que merda está acontecendo?

— Parece que o romance dele com a modelo lá não durou nem dois meses, ele foi visto beijando uma morena no aeroporto. Eu juro que quando vi pensei que era você, ela tem o mesmo corpo que você e lembra bastante mas parece que ela não é famosa.

— O que ele faz da vida dele não me interessa mais. Tudo o que importa agora é meu relacionamento com Joseph, a minha filha e a minha carreira.


Bistrô. 
06:00 da tarde


— Pai, eu já estou indo. — Joe avisou tirando o avental, ele havia ficado boa parte do resto da tarde trabalhando na cozinha. Miley não estava no bistrô ele acabou ficando no lugar dela. O sorriso não havia saído do seu rosto e todos puderam perceber que havia algo de diferente nele.

— Antes de ir você pode anotar o pedido daquela mesa do fundo pra mim? — Joe assentiu, pegou o bloquinho em que eles anotavam os pedidos e caminhou tranquilamente até a última mesa aonde havia um grupo de garotos e garotas sentados ao redor da mesa, parecia um grupo de estudo já que haviam cadernos e livros espalhados por toda parte.

— Boa tarde, você já escolheram o pedido de vocês?

— Você está no cardápio? — Uma das garotas de olhos verdes e cabelos loiros perguntou com um sorriso malicioso no rosto. Joe riu e negou com a cabeça, ele já estava acostumado à receber cantadas de garotas mais novas e ele acha aquilo engraçado.

— Eu não estou no cardápio mas posso indicar algo pra vocês, vendemos um bolinho de canela que faz muito sucesso por aqui. — Ele olhou para os garotos mas um em questão lhe chamou atenção, ele parecia ser tímido, o garoto tinha os estreitos e esverdeados assim como os de Cristina e os seus...

— E aí, Jacob? Você conseguiu o número daquela gatinha da faculdade? — Um dos meninos perguntou e logo os outros fizeram questão de participar da conversa. Joe riu baixinho lembrando da época em que estava na faculdade, ele e seus amigos eram do mesmo jeito! O tal Jacob sorriu envergonhado ao ver seus amigos lhe zoando e abaixou a cabeça com as bochechas coradas.

— Aí tio, qual é o seu concelho para o nosso amigo aqui conquistar uma garota que ele tá afim? — Um garoto de cabelo loiros perguntou para Joseph, ele olhou para Jacob e sorriu.

— Seja verdadeiro com ela. Seja verdadeiro sobre o que você sente e seja verdadeiro sobre quem você é. Ela vai gostar de você como você realmente é, seja gentil e um cavalheiro. — Jacob assentiu um pouco envergonhado e logo após anotar todos os pedidos Joe se despediu do grupo.

— Posso saber porque toda essa pressa pra ir embora? — Paul perguntou estranhando o comportamento do filho. Joe deu os ombros e sorriu satisfeito assim que achou as chaves da moto.

— Eu tenho um compromisso agora à noite. — Paul assentiu desconfiado, Joe riu da cara do pai e beijou-lhe na testa. — Amanhã você saberá o que está acontecendo e tenho certeza que ficará orgulhoso. — Sorriu e se despediu do pai com um breve aceno, ele dirigiu a moto tranquilamente até sua casa e assim que chegou encontrou um bilhete de Selena em cima da mesa.


Eu já deixei tudo preparado!
apenas aproveitem à noite e depois me digam no que deu.
eu estou torcendo pela felicidade de vocês.
beijos, Sel. 


Ele sorriu satisfeito e largou o bilhete em cima da mesa. Joe subiu as escadas até o seu quarto e separou a roupa que usaria, ele se despiu e adentrou no banho quente. Ele não demorou muito no banho e em menos de quinze minutos já estava se trocando, ele havia escolhido uma roupa despojada. Queria usar algo simples que pudesse se sentir à vontade com ela, ele estava usando jeans escuro, camisa preta e uma jaqueta de couro. Assim que terminou de se trocar, Joseph passou perfume e penteou os cabelos para o lado direito. Ele pegou a carteira e a chave da moto e saiu em direção à casa de Demi. 


Casa da Demi 
07:45 da noite


Demi bufou e sentou-se na cama jogando a cabeça para trás. Ela estava completamente indecisa sobre o que vestir, já havia desistido daquele jantar três vezes e estava querendo desistir pela quarta vez. Parecia que nada estava conspirando ao seu favor. Miley saiu do closet segurando um vestido preto e saltos da mesma cor nas mãos. — Demi, você tem que se vestir logo! Tenho certeza que Joseph não vai te levar à um restaurante chique do centro da cidade, ele gosta de privacidade e também você tem que vestir algo prático pra facilitar na hora dele tirar sua roupa. — Sorriu maliciosa e Demi lhe acertou um travesseiro na cara. — Eu falei alguma mentira por acaso? Você deveria se animar, você vai transar e isso é quase um milagre. 

— Miley, cala a boca! — Demi disse levantando-se e pegando o vestido, por sorte seu cabelo e sua maquiagem já estava pronta se não iria acabar se atrasando. — O que você acha? — Perguntou após vestir o vestido e se olhar em frente ao enorme espelho que havia numa parede do quarto. Ela mordeu o lábio inferior um pouco indecisa e revirou os olhos quando Miley lhe deu um tapinha no bumbum.

— Se eu fosse lésbica e você não fosse minha irmã eu com certeza te pegaria, esse vestido valoriza seus seios e o seu bumbum. — Demi virou-se de costa e observou melhor o vestido. — Eu acho tão injusto eu não ter nascido com o bumbum grande. — Reclamou pegando Sophia no braço. — Até a Soph tem a bunda maior do que a minha. — Disse indignada. 

— Não seja dramática, você não sabe como às vezes é difícil fazer esse bumbum entrar em um jeans. — Disse sentando na cama para calçar os saltos. 

— Joseph é um homem sortudo. 

— Eu também sou uma mulher sortuda. — Sorriu e assim que colocou os saltos ficou de pé para dar uma ultima conferida no look. A campainha tocou e ela sentiu suas pernas tremerem. Demi respirou fundo algumas vezes e desceu as escadas, caminhou até a sala e assim que abriu a porta o sorriso tomou conta do seu rosto rapidamente, ele estava lindo e segurava um buquê de rosas nas mãos. 

— Oi. — Ele sorriu e se aproximou para beija-la na testa. — Espero que goste. — Disse lhe entregando as flores, Demi sorriu e se aproximou para selar seus lábios em um beijo calmo.

— Nossa que flores lindas, eu vou começar à questionar o porquê do Liam não me fazer surpresas como essa. — Miley disse atrás da irmã. Demi separou o beijo com um selinho e revirou os olhos para irmã. 

— Papai, titia. — Sophia disse resmungando, ela queria ir para o colo de Joseph porém Miley lhe segurava.

— Vou colocar essas flores num vaso. — Joe assentiu e aproveitou aquele tempinho para dar atenção para Sophia. A garotinha deitou a cabeça no ombro dele e o abraçou pelo pescoço. O sorriso nos lábios de Joseph eram enorme, era sempre assim quando ele estava perto de Sophia, aquela garotinha havia ganhado seu coração de uma maneira que ninguém mais conseguiu.

— Eu amo você. — Joe disse baixinho e beijou o topo da cabeça de Sophia. A garotinha levantou a cabeça e abriu um enorme sorriso apenas para ele. Demi se aproximou deles e Miley admirou aquela pequena família, eles eram tão lindos.

— Vocês são uma família tão linda. — Demi sorriu e abraçou Joe pela cintura. — Vem Soph, vamos brincar de boneca enquanto seus pais vão namorar. — Miley disse pegando a garotinha nos braços, Sophia resmungou e franziu o cenho ameaçando abrir o berreiro.

— Nós podemos levá-la. — Joe sugeriu quando viu a garotinha chorando, era de partir o coração.

— Nada disso, eu quero passar a noite com a minha sobrinha, agora vão embora logo se não ela não vai parar de chorar. — Joe beijou a testa de Sophia e saiu de mãos dadas com Demi. 

— Moto, Joseph? — Perguntou revirando os olhos, ela estava de vestido e seria um sacrifício subir naquela moto.

— É mais prático e pra onde eu vou te levar não entra carro. — Demi franziu o cenho confusa e com a ajuda de Joseph subiu na moto, ela colocou o capacete e abraçou Joseph pela cintura assim que ele deu partida.

— Pra onde vamos? — Estranhou quando Joseph guiou a moto em uma estrada de terra. A risada de Joseph saiu abafada por conta do capacete, Demi era tão curiosa. Ele não disse nada apenas continuou guiando a moto, assim que estacionou a moto em frente à um chale, ele desceu da moto e ajudou Demi à tirar o capacete. — Eu não acredito. — Demi disse após tirar o capacete e descer da moto. Eles estavam no mesmo chalé que costumavam ficar quando eram adolescentes e queriam ficar longe de tudo e todos. — Você manteve esse lugar por todos esses anos? — Perguntou entrelaçando suas mãos enquanto Joseph abria a porta.

— Esse lugar possui as melhores lembranças de nós dois, eu não consegui me desfazer. — Disse depositando um beijo na mão dela que estava entrelaçada com a sua. Joe acendeu a luz e ela sorriu lindamente ao ver toda a decoração daquele lugar, havia pétalas de rosas espalhadas pelo chão e pela cama, havia uma mesa redonda decorada para um jantar de duas pessoas, estava tudo perfeito.

— Joseph, você fez tudo isso pra mim? — Perguntou virando-se para olhá-lo, ele tinha um sorriso divertido no rosto e ela estava emocionada! Joseph era o único homem que fazia coisas tão românticas como aquela pra ela, nenhum outro havia feito.

— Selena me ajudou com tudo. — Disse rodeando a cintura dela com os dois braços. Demi sorriu e espalmou o peito dele com uma das mãos.

— Eu amei tudo, muito obrigada, meu amor. — Ela selou seus lábios em um beijo calmo e rápido. — Depois me lembre de agradecer à Sel. — Joe assentiu e selou seus lábios novamente, havia sentido tanta a falta dela que não conseguia deixar seus lábios longe dos delas por muito tempo, era como uma droga viciante. — Esse urso é muito fofo. — Demi disse assim que notou um urso grande segurando um coração escrito "Eu te amo". Ela abraçou o ursinho e suspirou quando sentiu o cheiro de Joseph nele. — Sophia roubará ele de mim em menos de cinco minutos. — Joe riu e serviu o jantar. Eles sentaram em volta da mesa redonda e começaram à jantar. O silêncio prevaleceu boa parte do jantar mas era como se fosse algo ruim, eles estavam desfrutando da companhia um do outro e trocavam olhares apaixonados e sorrisos tímidos. — Eu sei que está tudo bem entre nós mas eu acho que precisamos conversar sobre como vai ser daqui pra frente. — Joe assentiu e segurou a mão dela que estava por cima da mesa. — Nós não somos mais dois adolescentes, somos adultos e eu tenho uma filha com outro cara, eu estou entrando de cabeça nesse relacionamento e preciso saber se você também está.

— Eu quero que esse relacionamento dê certo mais do que qualquer outra coisa. Eu amo você e quero enfrentar qualquer obstáculo ao seu lado. Eu quero ser um segundo pai pra Sophia, eu amo aquela garotinha, ela me ganhou na primeira vez que eu coloquei os olhos nela. Eu sou apaixonado por você e por ela.

— Nós também somos apaixonadas por você, mas amor não é o suficiente em uma relação. Você me magoou, Joseph! Me disse coisas absurdas que magoaram muito, eu preciso ver uma mudança da sua parte porque se não isso não vai funcionar.

— Nada do que eu fizer vai fazer você esquecer o que eu disse, eu tive uma atitude egoísta e mesquinha, eu agi como um moleque e não como um homem. Nenhum motivo justifica o meu ato, eu agi como um monstro e reconheço isso. Eu sei que eu não mereço você, eu não mereço uma segunda chance e nem mereço estar sentado com você aqui nesse momento. Naquele dia, eu já estava com a cabeça lotada de merda, Chole e Josh me disseram o que realmente havia acontecido naquela noite, eles me disseram a verdade sobre Elisa, em seguida eu descobri que Cristina é a minha mãe, depois Elisa veio com aquele papo e... ela consegue ser convincente quando quer, você já foi amiga dela e sabe do que eu estou falando. Enfim, eu acabei descontando tudo em você, eu te machuquei e me condeno por isso todos os dias. Essa semana foi como estar no inferno, eu não dormi direito, não comi, mal consegui focar no trabalho. — Os olhos dele estava vermelho por conta das lágrimas que ele estava segurando, aquela conversa estava sendo difícil mas ambos sabiam que era necessária. Demi suspirou tentando processar tudo aquilo. Então Elisa havia contado sobre o bebê para Joseph? — Eu quis te procurar durante a semana mas Selena não deixou, ela ficou puta comigo e disse que eu tinha que ver que tipo de homem eu estava me tornando, meu pai também me deu um puta sermão e no final, eu percebi que todos eles tinham razão. Eu estava cego atrás de vingança, eu queria ver você sofrer. Eu estava me tornando um grande filho da puta e nem tinha percebido. — Eles se encararam enquanto processavam tudo o que estava acontecendo ali. Demi apertou a mão dele um pouco mais forte e bebericou seu vinho.

— Eu... não sei se você sabe mas nossas fotos no casamento de Ellie estão rodando pela internet. — Joe arregalou os olhos, ele não estava acostumado com aquilo. Ele bebeu um gole de vinho e esperou ela continuar. — Eu sou uma pessoa pública agora, Joseph. As pessoas querem saber qual é a minha próxima coleção de roupa, qual é o próximo desfile que eu vou organizar, com que marcas famosas eu estou trabalhando e com quem eu estou me relacionando. E no momento em que nós firmamos nossa relação vão ter pessoas vindo atrás de você, elas vão querer saber quem você é, o que faz, eles vão te oferecer dinheiro em troca de informações sobre a minha vida intima e muitas outras coisas. Quando eu voltar pra minha rotina normal, eu vou ter que viajar pra divulgar meu trabalho, vou ficar semanas fora de casa, vou ficar até tarde trabalhando e eu preciso que você entenda, meu trabalho exige isso de mim e eu amo o que eu faço. — Bradley podia ter muitos defeitos mas ele nunca havia implicado com o trabalho dela e os tantos de dias que ela passava fora de casa, ele entendia e era isso que ela precisava, de alguém que entendesse o trabalho dela, Demi era apaixonada pelo o que fazia e escolher entre um relacionamento e seu trabalho não era uma opção.

— Você sabe que eu sempre gostei de ter privacidade, não gosto de ter pessoas falando sobre a minha vida mas eu entendo que isso é uma consequência do seu trabalho. Eu posso me acostumar com isso, eu só preciso de você ao meu lado. — Demi sorriu e deu mais um gole no vinho, colocou a taça de lado e levantou-se.

— Eu amo você, Joseph. — Disse sentando de lado no colo dele. Joseph passou os braços pela cintura dela e beijou-lhe o pescoço. Demi fechou os olhos e acariciou o cabelo dele.

— Eu também amo você. — Sussurrou no ouvido dela e deu uma mordidinha na orelha dela. Demi mordeu o lábio inferior e passou suas pernas pela cintura dele. Automaticamente as mãos dele alisaram suas coxas torneadas. Demi fechou os olhos sentindo até o seu último fio de cabelo se arrepiar, cada lugar que as mãos dele tocavam lhe incendiava. Ela buscou pela boca dele e logo selou seus lábios em um beijo cheio de desejo. Suas desceram pelos braços fortes e adentraram a camiseta dele, Demi acariciou o peito dele e arranhou levemente suas costas. Ela puxou a blusa dele e a tirou jogando em um local qualquer. As mãos de Joseph acariciavam o bumbum dela por cima do vestido enquanto ele tinha a cabeça enterrada no pescoço dela. Joseph levantou com Demi ainda em seu colo e caminhou com ela até a cama. Ele sentou na cama e ela ficou em pé entre ele.

— Tira pra mim, amor. — Demi disse virando-se de costas para que ele puxasse o zíper do vestido. Joe jogou os cabelos dela de lado e depositou um beijo no ombro descoberto. Ele segurou o zíper e desceu até o final das costas dela. Ele beijou-lhe as costas descoberta e puxou o vestido para baixo. Joseph podia jurar que seu coração havia parado por alguns minutos quando ele viu aquele bumbum empinado. Demi virou de frente segurando os seios com um braço. Ela mordeu o lábio inferior e sorriu maliciosa quando Joseph se levantou beijando seus lábios com tamanho desejo. As mãos deles apertaram seu bumbum com força e ela gemeu baixinho, aquele homem era uma perdição. Demi desceu as mãos até a fivela do cinto e tirou a calça dele.

— Você é perfeita. — Sussurrou no ouvido dela, Demi sorriu de forma maliciosa e passou a mão pelo volume que havia na cueca dele. Joe deitou ela na cama de forma delicada e foi trilhando um caminho de beijo do pescoço até embaixo do umbigo, ele conseguiu sentir quando ela tremeu assim ele beijou um pouco abaixo do seu umbigo. As mãos dela foram parar no cabelo dele puxando levemente, ela se remexeu quando Joseph lhe provocou dando um beijo lá... Demi gemeu baixinho e mordeu o lábio inferior com força, ela estava tão excitada e o queria, céus como queria! Ela sabia que Joseph estava lhe provocando quando ele deslizou a calcinha pelas suas pernas e introduziu um dedo naquela região.

— Jose... Joseph! — Ela não estava conseguindo raciocinar direito, como aquilo era bom! Ela fechou os olhos e franziu o cenho, ele sabia como fazer. Quando Joe intensificou os movimentos dos dedos ela arqueou o corpo sentindo o prazer lhe invadir cada vez mais. Ele estava lhe torturando de uma maneira incrivelmente boa, ele intensificava e diminuía os movimentos. Joseph tirou os dedos da região íntima e ela resmungou baixinho, ele subiu os beijos da barriga até os seios dela. Demi agarrou os cabelos dele com as mãos e apertou com força, aquele homem estava lhe enlouquecendo. — Eu.. eu preciso de você, amor. — Disse quando Joseph depositou um chupão em um dos seus seios que ficaria roxo no dia seguinte. Demi espalmou o peitoral dele e o empurrou fazendo-o deitar na cama, ela subiu em cima dele e se movimentou fazendo suas partes intimas se tocaram.

— Céus, Demetria. — Gemeu baixinho com as mãos no bumbum dela. Demi parou os movimentos apenas para retirar a cueca box dele, ela mordeu o lábio inferior e segurou o membro dele fazendo movimentos para cima e para baixo. Joseph adentrou as mãos no cabelo dela e apertou.

— Amor, você tem preservativo? — Ela não estava mais aguentando aquela tortura. Joseph apenas assentiu e esticou o braço até alcançar a carteira, Demi abriu o preservativo e fez questão de protegê-lo sem quebrar aquela troca intensa de olhares, Joseph segurou a cintura dela fortemente e encaixou seus corpos. Os movimentos eram calmos, ele queria fazer aquilo durar. Demi o abraçou pela nuca e cravou suas unhas nas costas dele, aquela sensação era tão boa, era algo enlouquecedor e inexplicável. Ela arqueou seu corpo em direção à ele incentivando à ir mais rápido e mais fundo. O quarto estava abafado e os corpos estavam começando à ficar suados. Joseph aumentou a velocidade dos movimentos sentindo o prazer tomar conta de todo seu corpo e com Demi não era diferente, ela estava totalmente entorpecida por aquela sensação única, sexo era bom mas era melhor ainda quando havia amor! Os gemidos se misturaram e a sensação prazerosa os invadiu por completo. Joseph caiu por cima dela e Demi o abraçou pelo pescoço. A respiração de ambos eram ofegantes e eles estavam suados. Eles ficaram em silêncio por um bom tempo apenas tentando fazer com que sua respiração voltasse ao normal. Joe tirou o cabelo que estavam colados no rosto dela e a puxou para deitar em seu peito. Demi respirou fundo e acariciou o peito dele. Ela ergueu a cabeça e colou seus lábios num beijo rápido e simples. — Eu amo você. — Joe disse enquanto alisava o final da coluna dela. O sorriso dela era o mais bonito de todo o mundo e ele adorava quando ela sorria exclusivamente para ele.

— Eu também amo você. — Falou fechando os olhos, deitar no peito dele era tão confortável que ela estava sentindo o sono chegar.

— Dorme bem, meu anjo. — Demi sorriu sonolenta quando ele beijou-lhe a testa de uma maneira tão carinhosa e pura, ela se aconchegou ainda mais nos braços dele e adormeceu sentindo ele acariciar seu cabelo.

--

postei e sai correndo. 
oi meninas, tudo bem com vocês? eu estou bem e feliz por voltar aqui depois de tanto tempo. eu sinto muito pela demora mas foi uma semana corrida e cheia de coisas para resolver. 
eu sei que muitas de vocês queriam que o joe ralasse um pouco mais para conseguir a demi de volta mas estamos chegando na reta final e eu não posso colocar mais nada entre eles, o próximo capítulo também promete fortes emoções como por exemplo: a tão sonhada troca de tapas entre demi e elisa, aguardem!
eu espero que vocês gostem do capítulo e me digam o que acharam do hot, eu particularmente achei mais ou menos, acho que desaprendi à escrever esse tipo de coisa mas dei o meu melhor. 
enfim, é isso. eu volto assim que o próximo estiver pronto | respostas aqui & aqui
bjs e até o próximo <3

 
  

07/06/2017

Capítulo 33. Tired (Second Part)



Demi ficou alguns minutos parada enquanto observava Joseph ir embora. Ela estava tentando entender o que diabos havia acabado de acontecer ali. Eles estavam tão bem e de repente... tudo parecia ter desmoronado! As palavras dele ecoavam repetidamente em sua mente mas se Joseph estava pensando que iria jogar uma bomba daquelas em suas mãos e ela ia ficar esperando explodir, ele estava muito enganado! Demi caminhou apressadamente até a mesa aonde sua mãe estava e pegou sua bolsa. — Está tudo bem? — Dianna perguntou estranhando toda aquela pressa da filha. 

— Está. — Mentiu, o que ela menos precisava agora era de uma série de perguntas que sua mãe lhe faria. — Eu só preciso sair pra resolver um probleminha, não precisa se preocupar. — Dianna estava estranhando todo aquele comportamento da filha mas antes que pudesse abrir a boca pra dizer alguma coisa Demi saiu apressada sem olhar pra trás. Ela suspirou e bebeu um gole de refrigerante, algo estava errado e ela sabia disso. 

Demi não demorou muito pra chegar até a casa de Joseph, ela estacionou o carro de qualquer jeito e desceu caminhando apressadamente até a porta. Tocou a campainha várias e várias vezes mas não obteve resposta, girou a maçaneta da porta e suspirou satisfeita quando a porta se abriu. Demi procurou por ele na sala e na cozinha mas não o encontrou. Conforme subia as escadas, ela conseguiu ouvir o barulho do chuveiro, Demi adentrou no quarto e respirou fundo algumas vezes, seu coração estava acelerado e ela estava com medo do que estava por vir.

Joe desligou o chuveiro e pegou uma toalha, ele secou seu cabelo e enrolou a toalha em volta da sua cintura. Sua cabeça estava doendo e parecia que ia explodir à qualquer momento. Tudo o que ele mais queria no momento era deitar e dormir pra não pensar naquele maldito dia! — Caralho! — Xingou alto assim que abriu a porta do banheiro e viu Demetria sentada em sua cama. O que diabos ela estava fazendo ali? Pensara que havia deixado tudo bem claro pra ela. — O que você está fazendo aqui? — Seu tom de voz não era nenhum pouco amigável e nada de bom poderia sair dali. 

— Você achou que ia jogar uma porra de uma bomba nas minhas mãos e ia ficar por isso mesmo? Eu vim entender o que diabos está acontecendo. Eu pensei que estivéssemos bem.

— Eu também pensei que estivéssemos bem até descobrir da pior maneira possível que você escondeu uma gravidez de mim, uma gravidez em que eu era o pai da criança. Eu tinha todo o direito de saber, você não acha?

— Quem foi que falou isso pra você? — Perguntou sentindo seus olhos arderem em lágrimas, ele estava mexendo em uma ferida que já estava cicatrizada e ela sentia que aquilo não ia prestar.

— Não interessa quem contou, o que interessa aqui é o que você fez! Como você consegue conviver com isso? Como consegue viver sabendo que você matou uma criança inocente? Você é uma assassina! — As palavras dele foram como uma faca enfiada em seu coração. Demi não conseguiu se segurar e chorou como uma criança, ele tinha noção do que estava falando? Joe sentiu o peso das palavras dele e sentiu-se o pior homem da terra ao vê-la chorando, ele não queria ter dito aquilo, estava com tanta raiva que não mediu a força das suas palavras. — Eu... eu não queria ter dito isso, me desculpa. 

— Não, eu não te desculpo. — Como ele fora capaz de culpá-la por algo que ela não teve culpa? Estava profundamente magoada com ele. — Foi uma situação que fugiu do meu controle, eu poderia ter sido mais cuidadosa mas eu não tinha como saber que aquilo iria acontecer. Você não sabe como eu sofri quando acordei na porra de um hospital com a notícia de que eu tinha perdido um filho, você não sabe como foi difícil pra mim ter que enfrentar isso sozinha, sem o apoio de ninguém. Você não tem o direito de me julgar ou de colocar a culpa em cima de mim. Eu posso ter errado em não te contar mas eu não queria mexer em algo que iria nos machucar, eu não queria te ver sofrer. Joseph você me chamou de assassina e isso é algo que eu não vou perdoar, como você disse, esquece qualquer recomeço para nós, agora quem não quer mais sou eu! Você não é o Joseph pelo qual eu me apaixonei, você deixou que erros do passado te transformasse em uma pessoa fria e amarga e enquanto você não mudar, não haverá chance para nós. — Demi pegou sua bolsa e desceu as escadas. "Você é uma assassina" era tudo o que ecoava em sua mente. Estava machucada e magoada, ela esperava qualquer coisa de Joseph menos ouvir aquelas palavras. 

Joe estava sentindo o impacto das palavras dela. Demi tinha razão, ele estava tão focado nos erros do passado que isso estava lhe cegando, ele não conseguia ver a si mesmo, ele não conseguia ver a pessoa amarga e fria que ele havia se tornado. Joe jogou-se na cama e deixou as lágrimas descerem livremente, tinha como ele retirar as palavras que havia dito?


Dia seguinte
11:00 da manhã 


Demi abriu um dos olhos e fechou novamente assim que um raio de sol atravessou o quarto indo diretamente em seus olhos. Ela havia ficado a noite toda acordada e sentia as consequências, sua cabeça latejava, seu corpo todo doía e gritava por descanso. Sua vontade era de ficar o dia todo na cama. Com muito esforço, ela levantou e foi até o banheiro fazer sua higiene matinal, fez tudo sem nenhuma pressa, a verdade é que ela não tinha animação para fazer nada. Era como se tudo fosse um grande quebra-cabeça que estava se encaixando mas alguém havia espalhado todas as peças e ela não conseguia encontrar quais peças se encaixavam. Assim que terminou sua higiene matinal, Demi desceu as escadas e franziu o cenho ao ver uma mala perto da porta. Anne apareceu sorridente com Sophia no braço e Dianna ao seu lado. — Finalmente, pensei que ia ter que te acordar para me despedir de você. — Despedir?

— Você já está indo embora? — Anne assentiu e beijou a bochecha de Sophia que esticava os braços em direção à mãe. — Sim, eu tenho muita coisa pra fazer lá em Nova York, eu adoraria ficar mais tempo mas o trabalho me chama. 

— Creio que não vamos demorar muito para nos ver, eu voltarei pra Nova York o mais breve possível. — Anne e Dianna arquearam as sobrancelhas confusas, como assim voltar para Nova York?

— Ué, mas já? Pensei que iria demorar mais agora que você e Joe estão juntos novamente. — Demi não soube o que dizer por isso ficou calada, o olhar desconfiado de Dianna não passou despercebido por ela e sabia que teria que se explicar. — Não me diga que você e Joseph vão morar juntos em Nova York? 

— Não... eu só acho que está na hora de voltar à trabalhar, de voltar com a minha vida... — Deu os ombros e Anne assentiu um pouco desconfiada. Ela abraçou Demi apertado e beijou-lhe a testa. 

— Eu preciso ir se não perco meu voo. Obrigada por me acolherem tão bem e desculpa qualquer coisa. Eu me diverti muito o pouco tempo que passei por aqui. — Demi abraçou a amiga fortemente e quando a soltou sentiu as lágrimas descerem, ela estava tão sensível. 

— Se você quiser eu posso te levar até o aeroporto. — Anne negou e beijou a testa de Sophia.

— Não precisa se preocupar comigo, Josh também está indo pra Nova York e eu vou aproveitar a carona. — Demi assentiu sorrindo e observou a amiga abraçar Dianna. — Tchau, digam à Miley e à Selena que mandei um grande beijo. — Demi assentiu e observou a amiga ir embora com lágrimas nos olhos. Sophia sorriu e deu tchau com a mãozinha. 

— O que está acontecendo com você? — Dianna perguntou sem rodeios. Ela estava preocupada. — Ontem você saiu do casamento toda apressada e quando eu cheguei em casa consegui ouvir seu choro, eu estou preocupada com você, minha filha. 

— Eu só... estou cansada! — Ela abraçou Dianna com força e deixou as lágrimas descerem, o abraço da sua mãe era o local mais reconfortante que ela conhecia e sabia que podia desabar com sua mãe sem medo. — Já é a terceira vez que eu tenho meu coração quebrado e não sei se eu quero me arriscar novamente, antes parecia que ia valer à pena, eu pensei que iria valer à pena correr atrás do Joe, mas eu estava totalmente errada. As pessoas mudam e e ele mudou, se tornou outra pessoa e eu acho que nós não nos encaixamos mais. Ele me magoou ontem, disse algo que eu nunca esperava ouvir dele. 

— Mãe, a senhora não... — Miley adentrou em casa animada mas toda aquela animação desapareceu quando ela viu a irmã chorando. — O que aconteceu? — Perguntou preocupada. Demi separou o abraço da mãe e limpou as lágrimas com a manga do moletom que ela estava usando. 

— Eu confiei um segredo em você mas você me decepcionou totalmente, eu pensei que você era uma pessoa confiável mas pelo visto eu não posso confiar na minha própria irmã.

— De que porra porra você está falando, Demetria? Eu não contei segredo nenhum pra ninguém. 

— Joseph descobriu que eu perdi um filho dele. — Dianna arregalou os olhos. O que diabos estava acontecendo ali? — Você era a única pessoa que sabia disso, Miley.

— Eu... eu juro que não contei nada, Demi.

— Você... você perdeu um filho? — Dianna perguntou abismada, ela não estava entendendo nada do que estava acontecendo naquela sala. — Será que vocês podem me explicar o que está acontecendo aqui ou eu vou ter que descobrir sozinha?

— Quando a Demi fugiu pra Nova York ela estava grávida do Joe. — Miley começou dizendo. Demi estava com os olhos marejados e não sabia no que acreditar. Ela sabia que sua irmã não seria capaz de apunhá-la pelas costas dessa maneira, mas ela era a única que sabia. Se não foi Miley, quem havia sido?

— Só que eu acabei sofrendo um acidente e perdi a criança. — Suspirou e sentou-se no sofá quando sentiu as pernas fraquejarem, já eram quase meio dia e ela não havia comido nada ainda e nem tinha fome. — Eu sei que você não contou nada, Miley. — Disse encarando um ponto qualquer da sala, aquela situação toda havia lhe deixado ainda mais exausta. — Você é minha irmã e eu sei que não faria isso comigo. Eu só... estou me sentindo confusa e perdida. — Dianna sentou ao lado da filha e passou um dos braços em volta do ombro dela. Demi já havia passado por tantas coisas na vida, ela era uma mulher forte e merecia ser feliz.

— É por isso que você e Joseph não estão mais juntos?

— O quê? Como assim vocês não estão juntos? Até ontem vocês estavam bem, que porra está acontecendo aqui?

— Contaram pro Joe sobre a criança que eu perdi e... ele acabou com o que nós nem tínhamos começado direito. Ele disse coisas que me magoaram e que não vale à pena eu repetir aqui. Eu pensei muito e decidi que também não vou mais continuar com isso, eu já fiz tudo o que tinha que ser feito por ele, tentei de todas as maneiras salvar nossa relação mas eu cansei. É melhor cada um seguir com a sua vida. — A tristeza que refletia nos olhos dela era de partir o coração, era tão nítido o amor que ela sentia por ele que vê-la daquela maneira deixava qualquer um triste. Dianna suspirou e abraçou a filha como se ela fosse um bebê. — A partir de agora eu vou focar na minha filha e no meu trabalho, isso não é o fim do mundo e eu vou ficar bem.

— Eu vou resolver essa situação. — Miley saiu sem olhar para trás. Ela iria acabar com Joseph! Miley caminhou por volta de dez minutos até chegar na casa de Selena, tocou a campainha inúmeras vezes até um Nicholas irritado atender a porta. — Até que fim, pensei que teria que arrombar. — Disse adentrando, Nick fez uma careta e fechou a porta atrás de si. Ele estava se arrumando para ir buscar Daniel na casa da sua mãe. — Cadê Selena?

— Ela está no banho. — Deu os ombros e Miley sentou no sofá impacientemente.

— Aconteceu alguma coisa? Você parece estressada. — Nick disse observando a amiga, e quando Miley o olhou ele desejou nunca ter dito aquilo.

— Eu sou estressada de natureza, Nicholas. Não é assim que você e os garotos lá do bistrô dizem? — Perguntou irônica. Nick riu baixinho e deu um passo para trás, quando ela estava assim não era bom arriscar.

— Mi? — Selena sorriu descendo as escadas, ela estava com os cabelos molhados e vestia um simples vestido preto de alcinha. — Aconteceu alguma coisa? — Miley respirou fundo e assentiu puxando a amiga para sentar ao seu lado. Nick se despediu de Selena com um selinho e quando estava na porta gritou:

— Cuidado amor, ela está de tpm. — Selena riu e Nick saiu rapidamente antes que Miley fosse atrás dele.

— Seu marido é um idiota, Selena. Como você casou com ele?

— O amor tudo supera. — Brincou e Miley assentiu. — Aconteceu alguma coisa?

— Eu preciso da sua ajuda pra cortar as bolas do Joseph, não sei só se as bolas será suficiente, tava pensando em outras coisas também, tem alguma ideia? — Perguntou séria e Selena gargalhou. — Não dê risada, isso é sério.

— Tudo bem, o que aconteceu pra você querer arrancar as bolas dele?

— Ele e Demi não conseguiram se entender, parece que ontem ele descobriu um segredo dela e acabou falando o que não devia, sabe como ele é quando está com raiva mas a questão é que Demi está em casa sofrendo e eu tenho certeza que dessa vez a culpa é exclusivamente dele.

— Ele parecia furioso quando saiu. Eu mandei algumas mensagens pra ele mas ele não respondeu.

— Por isso mesmo nós vamos até a casa dele. — Miley disse levantando-se. — Eu juro que minha vontade é de arrancar o pau dele mas sei que Demi vai precisar. — Selena fez uma careta e levantou-se junto com a amiga. Como a casa de Joseph não era muito longe, elas foram caminhando. Assim que chegaram Miley fez questão de apertar a campainha e deixar seu dedo ali por vários segundos.

Joe desceu as escadas irritado. Quem diabos estava tocando sua campainha daquela maneira? Ele abriu a porta bruscamente e deu de cara com Selena e Miley. O que elas estavam fazendo ali? Ele deu espaço para elas adentrarem e passou uma das mãos pelo cabelo.

— Aconteceu alguma coisa? — Perguntou estranhando aquela visita repentina delas.

— Aconteceu! Aconteceu que você é um idiota. — Miley apontou irritada e Joe deu dois passos para trás, quando Miley estava estressada não era bom enfrentá-la, ele sabia muito bem disso.

— Miley, calma. — Selena pediu colocando a mão no ombro da amiga. — Nós queremos saber o que aconteceu entre você e a Demi, até ontem vocês estavam bem e protagonizando uma cena romântica no casamento da Ellie e eu acordo com a notícia de que vocês brigaram e resolveram cada um seguir seu caminho. O que aconteceu?

— Eu descobri que Demetria abortou um filho meu e escondeu isso de mim, como eu posso começar um relacionamento com uma pessoa que esconde algo tão sério assim de mim?

— Quem foi que te contou isso? Demi não abortou filho nenhum, seu babaca! Ela perdeu a criança, ela rolou um enorme lance de escadas da faculdade e perdeu a criança. O que você disse pra ela? — Demi havia perdido a criança? Diabos! Joe fechou os olhos com força e respirou fundo para não surtar. — Como eu te conheço arrisco dizer que você disse coisas bem pesadas, quando você está irritado você só olha pra porra do seu umbigo.

— Eu realmente disse coisas nas quais eu me arrependo mas eu estava irritado, ela não deveria ter vindo atrás de mim. Elisa disse que...

— Elisa? Foi Elisa quem te contou? — Joe assentiu e deu mais dois passos para trás quando viu a raiva nos olhos de Miley. Ela estava irada.

— Eu não acredito que você acreditou naquela vadia, Joseph. Porra meu, depois de tudo o que Chole te contou sobre ela você ainda acredita no que sai da boca daquela cobra? Ela não perdeu tempo em destilar o veneno dela em cima de você e você como é um idiota preferiu acreditar nela do que na pessoa que realmente te ama. Eu poderia chutar sua bunda nesse exato momento mas tenho certeza que assistir você tentando limpar essa merda toda que você fez vai valer mais à pena. Parabéns, Joseph. Você merece um diploma de idiota.

— Eu sei que eu errei e que eu agi como um idiota mas vocês não sabem nem da metade de coisas que eu descobri ontem, eu já estava afetado com tudo e Demi confirmou que havia ido embora grávida, na hora eu estava com a cabeça cheia de merda e não pensei direito. Ela veio atrás de mim e não deveria ter feito isso, eu disse coisas nas quais não me orgulho e acredite, eu estou pensando em um jeito de me desculpar.

— Espero que isso sirva de lição pra você. Joseph, você é como um irmão pra mim, fomos criados juntos praticamente e eu sei que você não é assim, você não é de sair por ai magoando as pessoas. Para por um minuto e pensa bem no cara que você está se transformando. — Miley deu um tapinha no ombro dele e saiu deixando-o sozinho com Selena. Joe sentou-se ao lado de Selena e abaixou a cabeça.

— Eu sou um idiota.

— Você agiu feito um mas eu sei como você pode tê-la de volta. — Sorriu animadamente. Ela sabia exatamente o que Joseph deveria fazer para reconquistar Demi.


***


Assim que adentrou em casa, Cristina sorriu ao ser recebida pela pequena cachorrinha da raça maltês. Ela abaixou-se e pegou a cadelinha nos braços, a pequena abanava o pequeno rabinho feliz e dava lambidas por todo o seu rosto. Cristina colocou a cachorrinha no chão novamente e sorriu ao entrar na sala e encontrar Jacob sentado no sofá com o notebook no colo e vários livros espalhados ao redor. — Boa tarde, querido. — Jacob sorriu quando recebeu um beijo na testa da mãe. 

— Boa tarde, mãe. Como foi o trabalho hoje? — Perguntou enquanto fazia uma anotação em seu caderno. Jacob tinha apenas dezenove anos e havia acabado de passar no vestibular, ele faria medicina na universidade do Tennessee. 

— Foi ótimo, como estão indo os estudos? — Ele era um dos seus maiores orgulhos, o pai de Jacob havia falecido de câncer de pulmão quando ele tinha apenas dez anos e desde então o garoto se dedicou aos estudos para cursar medicina. 

— Está indo tudo bem. — Sorriu e tirou os óculos de grau. Jacob era alto e carregava muito os traços do pai, a única coisa que havia puxado da mãe era os olhos, estreitos e verdes. — Ontem você chegou e nem deu tempo da gente conversar direito. A senhora conversou com meu irmão? — Ele sabia sobre o filho perdido da sua mãe e sabia de toda a história. Ele estava ansioso para conhecer Joseph, havia sido apenas ele e sua mãe durante nove anos, sentia falta de um homem para conversar e ele queria conhecer seu irmão, saber mais sobre Joseph e poder conversar com ele sobre vários assuntos masculinos. 

— Bem, eu apenas contei à ele quem eu era, ele ficou um pouco abalado e pediu tempo para digerir. Creio que vamos conversar sobre isso em algum momento e creio também que vamos fazer um exame de dna apesar de achar que não precisa, eu sinto no meu coração que é ele. — Sorriu e sentou ao lado do filho mais novo. — Ele tem os olhos iguais os seus. 

— Eu estou ansioso para conhecê-lo. — Sorriu sincero e imaginou o quão legal seria ter um irmão mais velho. 

— Tudo tem seu tempo, querido. No momento certo você vai conhecê-lo, eu prometo, o.k? — Jacob assentiu e voltou à focar nos livros.

--

o que vocês acharam do capítulo? pelo amor de deus me digam nos comentários porque eu sinceramente não sei de mais nada... pra mim está uma merda mas enfim. eu sei que prometi não demorar mas essa semana está sendo corrida pra mim, eu tenho uma prova essa semana, e duas provas pra fazer semana que vem e então preciso estudar. enfim, como vocês puderam ver, joe tem um irmão mais novo e eu acho que no próximo vai ter um encontro entre os dois... se tudo dê certo o próximo capítulo traz fortes emoções. 
respostas dos comentários no próximo, ok? | juro que vou tentar trazer um capítulo melhor pra vocês.
bjs.  

02/06/2017

Capítulo 32. Revelations (First Part)



TRÊS DIAS DEPOIS

O dia do casamento de Ellie finalmente havia chegado! Era um dos eventos mais comentado da cidade, "o casamento da filha do prefeito" não se falava em outra coisa, por ser uma cidade pequena, uma boa parte da cidade havia sido convidada e os fofoqueiros de plantões estavam só esperando um pequeno deslize. Joseph ajeitou a gravata do terno e deu uma ultima conferida em seu look. Paul adentrou no quarto do filho e checou o horário em seu relógio de pulso. — Tudo pronto? — Perguntou e se aproximou do filho para arrumar sua gravata borboleta. 

— Elisa vai com a gente? — Joseph negou com a cabeça e Paul o olhou desconfiado.

— Eu não falei com ela, nem sei se ela vai. — Deu os ombros e Paul apenas assentiu, nesses três últimos dias ele havia percebido uma certa diferença em Joseph, ele parecia mais leve e mais feliz, toda aquela raiva que ele carregava no peito havia desaparecido e Paul se perguntava o que poderia ter acontecido entre ele e Demetria. Sabia que Demi tinha algo haver com aquilo. — Podemos ir? — Paul assentiu e eles foram até o carro. Joe dirigiu tranquilamente até o centro da cidade aonde aconteceria a cerimônia e a festa, o local já estava lotado e todos esperavam ansiosamente a noiva. Eles adentraram e procuraram algum conhecido, Dianna já estava lá com Anne e Sophia, ela acenou para eles e sorriu. Selena e a família também já estavam lá.

— Vocês estão bonitos. — Dianna disse sorridente. Eles cumprimentaram Selena e a família e sentaram-se ao lado de Dianna. Joseph olhou em volta procurando por ela, mas não a encontrou em nenhum lugar. Ele e Demi ainda não haviam conversado sobre o que havia acontecido no pub. Ele estava cheio de problemas do bistrô para resolver e acabou ficando sem tempo de procurá-la e Demi também não o procurou.

— Demi está chegando, relaxa. — Anne disse dando um tapinha no ombro dele, Joe riu tímido e encarou o chão, estava tão na cara assim? — Ela está feliz pelo recomeço de vocês, nunca vi minha amiga tão feliz assim antes, então peço que pegue leve com ela porque se você magoá-la eu faço questão de cortar o que você tem no meio das penas. — Joe assentiu prontamente um pouco envergonhado, às vezes Anne dava medo.

— Papai, titia. — Sophia disse apontando para Joseph. Apesar do pouco tempo, Anne já havia ensinado Sophia à lhe chamar de tia e tinha ensinado outras palavras para a pequena. Sophia resmungou e esticou os braços em direção à Joe.

— Oi princesa. — Falou pegando a pequena no colo. Ele a colocou em pé em seu colo e Sophia riu quando ele beijou a bochecha dela. — Você está linda, amor. — A garotinha estava vestindo um vestido branco florido e uma tiara na cabeça, ela estava parecendo uma boneca.

— Mamãe! — Sophia sorriu e apontou, quando Joe olhou para trás na mesma direção em que Sophia apontava seu coração quase parou por alguns segundos e o ar escapou dos seus pulmões, ela estava simplesmente linda. Demi estava usando um vestido bege apertado no corpo e com um belo decote entre os seios, ela estava sexy pra caralho. Porém o que lhe chamou atenção além das belas curvas fora o cabelo dela, estava cortado na altura dos ombros e estavam perfeitamente alisados. Ela com certeza era a mulher mais linda daquele lugar.  Seus olhares se encontraram e Demi sorriu especialmente para ele. Seu coração estava acelerado e a imagem dele com Sophia nos braços estava gravada em sua mente para sempre.

— Boa noite. — Ela cumprimentou à todos com um sorriso e um breve abraço.

— Ah minha filha, você está tão bonita. — Demi sorriu e abraçou a mãe. Após cumprimentar todos, ela sentou ao lado de Joe e sorriu. Demi pegou a filha no colo e riu quando a pequena tocou o cabelo da mãe com curiosidade.

— Oi. — Demi disse um pouco tímida. Porque ela estava tão tímida? Era apenas Joseph! Se auto repreendeu e mordeu o lábio inferior.

— Você está linda! — Joe sussurrou em seu ouvido provocando arrepios por todo seu corpo. Ele beijou a bochecha dela e Demi suspirou sem conseguir conter as emoções que tomavam conta de si.

— E você está sexy. — Falou baixinho, Joe riu e balançou a cabeça. Os dois ficaram ali perdidos na própria bolha que haviam criado em volta deles. Quando Miley se aproximou deles de mãos dadas com Liam, Demi olhou para a irmã e sorriu feliz por eles terem finalmente se acertado. Não demorou muito para a cerimônia começar, a marcha nupcial tomou conta do local e todos se colocaram de pé para receber a noiva. Ellie adentrou na igreja de braços dado com seu pai. Demi olhou para Selena e elas sorriram orgulhosas do resultado final, havia ficado incrível!

— Estamos reunidos essa noite para celebrar a união entre Ellie James e Edward Mendes. — A cerimônia aconteceu rapidamente. Na hora dos votos, Joseph passou o braço pela cintura de Demi e ela sorriu entrelaçando suas mãos. Ela olhou para Sophia e mandou um beijo para a pequena. Ela, Joseph e Sophia, uma família! Tinha como estar mais feliz e realizada? Depois da breve cerimônia eles foram até o salão aonde aconteceria a festa. O salão estava ainda mais lotado do que a igreja, havia mesas espalhadas por todas as partes e Joe havia contratado mais de noventa garçons para manter todos bem servidos já que o bistrô estava responsável pelo buffet.

Eles procuraram uma mesa grande que coubesse todos e sentaram-se. Chole sorriu ao ver os amigos e se aproximou deles. — Olha só quem está aqui. — Ela cumprimentou cada um com um beijo e sorriu. — Desculpa não vir falar com vocês antes mas está tudo uma correria. Eu estou ajudando Ellie em tudo. — Fez um drama básico e puxou uma cadeira para sentar ao lado de Selena. Ela olhou para Joseph e Demetria e franziu o cenho. — Sinto que estou perdendo alguma coisa... vocês voltaram? — Dianna e Paul olharam para eles esperando uma confirmação, ambos haviam percebido a mudança de comportamento dos seus filhos e sabia que algo entre eles estava acontecendo.

— É... nós... hm... nós estamos recomeçando, sabe? — Disse toda atrapalhada, ela encarou Joe e sentiu as bochechas corarem fortemente. — Nós somos amigos agora, entende? Nada de mágoa ou raiva. — Selena, Miley e Chole gargalharam alto e Demi fechou a cara.

— Amigos? Você esqueceu de acrescentar que são amigos com benefícios, muitos benefícios... — Demi estava tão sem graça que sua vontade era de matar Chole naquele exato momento. Sua mãe lhe encarava com a sobrancelha arqueada como se estivesse lhe cobrando uma explicação e ela queria um buraco para enfiar a cara. — Mas falando sério, eu estou feliz por vocês estarem se entendendo, de verdade. Vocês se amam e já passaram por muitas coisas, merecem ser felizes. — Ela piscou e levantou-se. — Joseph quando você tiver um tempinho eu quero conversar com você, o.k? Agora eu preciso ir, tenho que fazer um discurso para minha priminha. — Joe franziu o cenho mas assentiu, o que Chole queria conversar com ele? Eles jantaram entre conversas e risadas, logo após o jantar, os noivos tiveram a primeira dança, Chole subiu no palco segurando um microfone e sorriu.

— Boa noite pessoal, espero que vocês estejam se divertindo. Nós estamos reunidos aqui essa noite para celebrar o amor. O amor entre Ellie e Edward. Cada pessoa tem um maneira de amar, não importa como seja essa maneira, o que importa é saber amar! Eu estou muito feliz pela minha prima, diferente de mim, ela sempre teve o sonho de construir uma família e acho que ela está fazendo isso muito bem. Eu quero chamar aqui na frente todos os casais apaixonados. — Ela olhou para Demi e Joseph e assentiu como se estivesse incentivando eles à ir também. — Quando eu falo todos os casais, são todos, até os mais complicados. — O pessoal riu e Demi sentiu suas bochechas corarem. — Estamos aqui para celebrar o amor e enquanto a música toca eu quero que vocês sintam a melodia e digam para seu par como você se sente. — Com vocês, James Arthur. — O cantor adentrou no palco segurando um violão, ele cumprimentou à todos e os primeiros acordes da música Say You Won't Let Go tomaram conta do local.


I met you in the dark
(Eu te conheci no escuro)
You lit me up
(Você me acendeu)
You made me feel as though
(Você me fez sentir como se)
I was enough
(Eu fosse o suficiente)
We danced the night away
(Nós dançamos a noite toda)
We drank too much
(Nós bebemos demais)
I held your hair back when
(Eu segurei o seu cabelo para trás)
You were throwing up
(Quando você estava vomitando)

Demi passou os braços ao redor do pescoço de Joseph e encostou a cabeça no peito dele, os dois dançavam suavemente no ritmo da música. Os corações de ambos batiam na mesma sincronia e eles partilhavam do mesmo sentimento: amor

Then you smiled over your shoulder
(Então você sorriu sobre seus ombros)
For a minute, I was stone cold sober
(Por um minuto, eu estava sóbrio como pedra)
I pulled you closer to my chest
(Eu te puxei para mais perto do meu peito)
And you asked me to stay over
(E você me pediu para passar a noite)
I said "I already told ya
(E eu disse: "Eu já te disse)
I think that you should get some rest"
("Eu acho que você deveria descansar")

I knew I loved you then
(Eu sabia que te amava)
But you'd never know
(Mas você nunca soube)
Cause I played it cool when I
(Porque eu fingi estar tranquilo quando eu)
Was scared of letting go
(Estava com medo de deixar pra lá)
I knew I needed you
(Eu sabia que precisava de você)
But I never showed
(Mas eu nunca demonstrei)
But I wanna stay with you
(Mas eu quero ficar com você)
Until we're grey and old
(Até ficarmos grisalhos e velho)
Just say you won't let go
(Apenas diga que você não vai embora


Ali, com ela em seus braços, Joe teve a completa convicção de que Demetria era a pessoa certa para ele. Somente ela era capaz de curar todas as suas feridas, somente ela seria capaz de lhe trazer uma felicidade plena, era ela e mais ninguém! Esteve por anos se enganando, tentando encontrar outros amores mas no fundo sempre soube que sempre seria ela. Ela era a única. — Você esteve comigo durante todos esses últimos anos, não fisicamente mas eu levava você comigo em pensamento. Eu amo a maneira como você sorri, o seu sorriso é único e é também o mais bonito. Eu amo a forma em como você corre atrás dos seus objetivos, você não desiste e isso faz com que eu te admire ainda mais. — Demi não conseguia o olhar nos olhos porque desabaria ali, os olhos dela estavam cheios de lágrimas e ela tinha a cabeça encostada no ombro dele. — I'll wake you up with some breakfast in bed, i'll bring you coffee with a kiss on your head and i'll take the kids to school wave them goodbye, and i'll thank my lucky stars for that night. (Eu vou te acordar com um café da manhã na cama, vou lhe trazer café com um beijo em sua cabeça e eu vou levar as crianças para a escola, acenar-lhes tchau e eu vou agradecer a minha estrela da sorte por aquela noite.) Era como uma promessa, a promessa de um futuro juntos.


When you looked over your shoulder
(Quando você olhou por cima dos ombros)
For a minute, I forget that I'm older
(Por um minuto, eu esqueço que sou mais velho)
I wanna dance with you right now, oh
(Eu quero dançar com você agora, oh)
And you look as beautiful as ever
(E você parece tão bonita quanto sempre)
And I swear that everyday you'll get better
(E eu juro que a cada dia você vai ficar melhor)
You make me feel this way somehow
(Você faz eu me sentir desse jeito de alguma forma)

I'm so in love with you
(Eu estou tão apaixonado por você)
And I hope you know
(E eu espero que você saiba)
Darling, your love is more
(Querida, seu amor é mais)
Than worth its weight in gold
(Do que o seu valor em ouro)
We've come so far my dear
(Nós viemos tão longe minha querida)
Look how we've grown
(Veja como nós crescemos) 
And I wanna stay with you
(E eu quero ficar com você)
Until we're grey and old
(Até ficarmos grisalhos e velhos)
Just say you won't let go
(Apenas diga que você não vai embora)

I wanna live with you
(Eu quero viver com você)
Even when we're ghosts
(Mesmo quando virarmos fantasmas)
Cause you were always there for me
(Porque você sempre esteve lá para mim) 
When I needed you most
(Quando eu mais precisava de você)


Demi respirou fundo antes de afastar sua cabeça para poder olhá-lo nos olhos. — Eu amo o cuidado que você tem com as pessoas que você ama. Eu amo a forma como você ajuda as pessoas, eu me encanto com a sua história de vida. Quando nós terminamos, uma parte de mim sabia que sempre iria te amar. Quando eu estou ao seu lado, você consegue despertar o que há de melhor em mim. Você enche meu mundo de alegria apenas com um sorriso, você é minha calmaria no meio do caos. E é por isso que eu insisto tanto em você, porque você é a pessoa certa pra mim. Porque quando eu estou em seus braços, é como se eu estivesse no céu. — Ele estava emocionado. Demi sorriu pra ele e beijou-lhe a bochecha. — I'm gonna love you till my lungs give out, i promise till death we part like in our vows, so i wrote this song for you, now everybody knows that it's just you and me until we're grey and old, just say you won't let go. (Eu vou te amar até meus pulmões desistirem, eu prometo até que a morte nos separe como em nossos votos, então eu escrevi essa canção para você, agora todo mundo sabe que somos só você e eu até ficarmos grisalhos e velhos apenas diga que você não vai embora).

Quando a música acabou uma chuva de aplausos tomou conta do salão mas eles não prestavam atenção em nada à não ser um no outro. Demi alisou o rosto dele e Joe colou seus lábios em um beijo calmo e apaixonado. Ali era oficialmente o recomeço deles. Eles sorriram entre o beijo e se separaram com um selinho, entrelaçaram suas mãos e quando Joe desviou o olhar brevemente de Demi, seus olhos cruzaram com os de Cristina do outro lado do salão, ela parecia estar emocionada e sorria pra ele.

— Vocês dois estavam lindos dançando, eu estou tão feliz por vocês. Por um momento pareceu que o tempo não passou, era como se vocês fossem aqueles adolescentes inconsequentes que fugiam e ficavam dias sem dar noticias. — Dianna disse toda emocionada, Joe riu e beijou o topo da cabeça dela. 

— Parece que nossas famílias estão unidas novamente. — Paul falou sorridente. Não demorou muito para Selena e Miley começarem à tagarelar sem parar. Elas queriam saber detalhes sobre aquela reconciliação. Joe olhou em volta do salão e avistou Chole, ela estava em um canto afastado e o chamava pela mão. Ele pediu licença e caminhou tranquilamente até ela. Chole o puxou pela mão e eles entraram em uma salinha que estava vazia, Josh também estava lá e ele franziu o cenho. O que estava acontecendo ali?

— Eu sei que você e Demi já se ajeitaram e eu estou muito feliz por isso mas chegou a hora de você saber a verdade sobre quem Elisa realmente é. — Joe franziu o cenho sem entender e cruzou os braços esperando uma explicação. 

— Chole eu não quero saber de mais nada sobre o passado, eu e Demi estamos nos resolvendo e pra mim isso é tudo o que importa agora. 

— Para de ser teimoso e senta ai. — Chole indicou uma cadeira e Joe sentou já que ele não tinha outra escolha. — Aquela noite foi uma armação da Elisa pra te separar da Demi, eu não sei como você nunca desconfiou que Elisa era apaixonada por você desde aquele época. Ela fazia a cabeça de Demi dizendo que Selena era apaixonada por você pra Demi não perceber que na verdade ela era quem era louca por você.

— Então era por isso que Demi tinha tanta cisma com Selena? — Chole assentiu, finalmente Joe estava abrindo aquela mente fechada dele. 

— Sim, eu confesso que também achava que Selena gostava de você até um dia Elisa admitir pra mim que era apaixonada por você. 

— Naquela noite em que eu estava dando uma festa na minha casa, antes da Demi chegar Elisa veio até mim dizendo que você tinha traído a Demi com Selena. — Josh disse e observou as feições do rosto de Joseph mudar, era surpresa e... raiva? — Naquela época eu sentia algo por Demi e isso não era segredo pra ninguém, eu fiquei muito puto com você! Elisa disse que Demi queria minha ajuda para se vingar de você, eu já estava bêbado pra caralho, não estava raciocinando direito e acabei aceitando. — Pelo tom de voz de Josh, Joe conseguiu identificar arrependimento ali. 

— Quando Demi chegou na festa, Elisa tratou de deixá-la bêbada e eu confesso a minha culpa, eu dei drogas ilícitas para ela usar mas eu juro que não sabia o que Elisa estava tramando, pra mim Demi estava só se divertindo como todas as outras vez em que nós usamos... eu não sabia que ela estava machucada, eu não sabia que vocês estavam brigados. Eu sinto muito por isso, Joe. Eu tenho minha parcela de culpa e entendo se você ficar com raiva de mim. — Joe estava muito surpreso e não sabia muito bem o que dizer, tinha coisas daquela noite que ele não encontrava sentido mas agora com Chole e Joshua lhe explicando tudo... 

— Depois que Elisa disse que Demi queria minha ajuda, eu subi para o quarto, Demi chegou logo depois e tudo acabou acontecendo. 

— Joe, a Elisa não é esse anjo que ela diz ser, na verdade ela é um demônio. A intensão de tudo isso é tentar te fazer entender o que aconteceu aquela noite e te mostrar quem Elisa realmente é. Elisa consegue manipular qualquer pessoa, ela é uma pessoa má, Joe, e quanto mais longe dela você ficar melhor vai ser, agora que você e Demi estão voltando ela vai tentar estragar tudo, vai tentar fazer a sua cabeça contra a Demi e contra nós. — Joe suspirou ainda tentando absorver todas aquelas informações, era coisa demais! Elisa era realmente aquele monstro? A explicação deles tinha sentindo, algo no seu coração sempre lhe dizia que Demi não teria coragem de fazer aquilo com ele e o pior era saber que esteve do lado da mulher que estragou sua felicidade com a pessoa que ele amava durante meses. Ela ia pagar por isso!

— Toma cuidado, cara. Elisa é capaz de loucuras por você. — Joe apenas assentiu e saiu rapidamente daquela sala, ele procurou Elisa por todo canto mas não a encontrou em lugar nenhum, furioso não era nada perto do estado em que ele se encontrava. Ele bufou quando não encontrou Elisa e quando ia voltar para a mesa, acabou esbarrando em Cristina. 

— Está tudo bem? — Ela perguntou preocupada, ele parecia furioso com alguma coisa. Joe passou a mão pelo cabelo e apenas assentiu. — Será que a gente pode conversar? — O que aquela mulher queria com ele? Ele estava começando a ficar incomodado com todos aqueles olhares que ela lhe lançava desde a noite em que eles se viram no bazar beneficente. 

— Sobre o quê? — Ele não queria parecer rude mas estava com tantas coisas em sua cabeça que estava prestes à explodir. 

— É... é algo sério. Eu não sei se algo como o que eu vou ter revelar agora deveria ser revelado aqui, em um local como esse. — Ela respirou fundo várias e várias vezes tentando manter a calma, suas mãos tremiam e ela estava com medo da reação dele. — Eu... eu... — Cristina respirou fundo novamente e encarou o filho. Ela precisava tirar aquilo do seu peito de alguma forma. — Quando eu era mais nova, eu tive um filho e... esse filho foi tirado de mim após um acidente e desde então eu nunca o vi. Eu estive durante todos esses anos procurando por ele, contratei inúmeros detetives e então descobri que ele fora deixado no orfanato de Nashville, eu estou morando aqui há pouco mais de dois meses e... e por um registro do orfanato eu descobri que... que você é o meu filho perdido. — Aquilo não estava acontecendo. Joe demorou para demonstrar uma expressão e quando demonstrou foi de surpresa, ele ficou por longos minutos olhando para aquela mulher... agora ele sabia de onde vinha aquela sensação de que a conhecia de algum lugar, aquela sensação de curiosidade. Ela era sua mãe? 


Demi lavou as mãos na pia do banheiro e encarou a irmã através do enorme espelho. O que Miley tinha de tão importante para lhe dizer à ponto de lhe arrastar para o banheiro? Demi secou as mãos e cruzou os braços. — O que você tem pra me dizer? — Perguntou confusa, Miley suspirou e mordeu o lábio inferior. 

— É sobre você... — Demi franziu o cenho confusa e esperou a irmã continuar. — É que... agora que você e Joe estão finalmente se entendendo você não acha que está na hora de contar a verdade pra ele?

— Que verdade? — Do que diabos Miley estava falando? 

— Sobre o bebê que você perdeu, Demi. Ele era o pai e acho que ele tem todo o direito do mundo de saber sobre isso, não é algo que envolve apenas você. Entende? Eu acho que você não deveria começar um relacionamento com ele com um segredo assim, cedo ou tarde ele vai descobrir e isso não vai te fazer bem, você vai acabar se ferrando. Se você explicar pra ele o que aconteceu, eu tenho certeza que ele vai entender.

— Ele não vai descobrir nada a não ser que você conte, afinal você é a única que sabe sobre isso. Eu não quero reviver um passado doloroso, nós estamos recomeçando e estamos feliz, o passado tem que ficar no passado. Essa criança não está mais entre nós e eu não quero fazer ele sofrer em vão.

— Demi...

— Miley, isso é tudo! Eu não vou contar pro Joe e peço que você respeite a minha decisão. Será que não podemos focar no presente? Nós estamos recomeçando e temos um futuro lindo pela frente. Podemos deixar as coisas como estão?

— Tudo bem. — Miley concordou mesmo contra sua vontade, ela sentia que aquela história ia dar uma merda grande. 

— Promete que não vai contar nada?

— O,k, eu prometo! — Demi sorriu e saiu abraçada com a irmã. Assim que elas saíram, Elisa abriu a porta de uma das cabines do banheiro e se encarou no espelho, ela tirou um batom vermelho da sua bolsinha de mão e sorriu e contornando seus lábios com o batom vermelho. Os dias de glória de Demetria estava com os minutos contados. Elisa saiu do banheiro e sorriu em direção à Joseph, ele estava encostado num canto da parede e segurava uma bebida na mão, Elisa se aproximou dele e sorriu. 

— Será que podemos conversar? — Como aquela mulher podia ser tão cara de pau? — É algo sério e é do seu interesse. — Joe apenas assentiu e caminhou com ela até um lugar mais afastado. 

— Que merda você tem pra falar comigo? — Perguntou sem um pingo de paciência. 

—  Eu sei que provavelmente nosso relacionamento chegou ao fim e que Demetria e seus amigos já fizeram sua cabeça contra mim falando um monte de mentiras, mas tem algo importante que eu acho que você precisa saber. 

— Dá pra ser mais direta? 

Demetria abortou um filho seu. — Joe arregalou os olhos e encarou Elisa sem acreditar no que havia acabado de sair da boca daquela mulher. — Quando ela foi embora pra Nova York ela estava grávida e o filho era seu. Quando ela descobriu, abortou a criança porque não queria nada que ligasse você à ela. 

— Porque diabos você acha que eu vou acreditar em você? Eu não sei como você tem coragem de olhar pra mim depois de todas as merdas que você fez, você é uma pessoa infeliz e vai ser pro resto da vida. Nenhuma pessoa é capaz de te amar porque você é vazia, todos esses meses que eu passei ao seu lado foi uma enorme perca de tempo e eu agradeço à Deus por não ter deixado eu dar um passo à diante na nossa relação. 

— Você acha que eu estou mentindo? Vai até ela e pergunta pra ela já que você está duvidando. Eu não tenho mais nada à perder, Joe. Porque você acha que eu inventaria uma mentira dessa? Você acha que eu sou uma mentirosa, então Demetria também merece esse título porque ela escondeu isso de você a vida toda e se não fosse eu pra te falar, ela provavelmente nunca te contaria. Demetria matou um filho seu e agora você e ela vão ter que conviver com isso pelo resto da vida. — Elisa sorriu e saiu sem olhar para trás, sabia que havia causado o efeito que queria. 

Joe virou o copo de vodka em um gole só e sentiu sua garganta arder. Os braços de Demetria rodearam sua cintura e ela beijou o pescoço dele. — Eu te procurei pelo salão inteiro, o que estava fazendo aqui escondido? — Perguntou brincalhona. Joe virou-se para encará-la e Demi franziu o cenho quando viu a expressão séria no rosto dele. 

— Você foi embora daqui grávida? — Perguntou sem conseguir se conter, Elisa havia plantado aquela dúvida em sua cabeça e ele não iria descansar enquanto não descobrisse a verdade. 

— Do que você está falando?

— Quando nós terminamos e você foi embora... você estava esperando um filho meu?

— O que... quem te contou isso? — Então era verdade! Joe se afastou dela bruscamente e Demi suspirou, como ele havia descoberto? 

— Se havia alguma chance de um recomeço, pode esquecer! Não quero começar um relacionamento com uma pessoa que esconde algo tão sério assim de mim, a minha cota de idiota acabou! — Ele saiu daquele lugar sem olhar para trás, estava se sentindo sufocado. 


--

milena se encontra desmaiada no momento! 
o capítulo mais esperado finalmente aconteceu, já estava na hora, né non? eu estou muito satisfeita com esse capítulo e espero que vocês também fique, espero ter alcançado a expectativa de vocês. o próximo já está pela metade e creio que não vou demorar pra postar ~já vamos começar nossa corrente de oração~ essa é só a primeira parte do capítulo, a segunda parte também vai ter vários babados.. aguardem. | respostas dos comentários aqui.
bjs, amo vocês 💕


como estou me sentindo com esse capítulo shjsd