18/05/2017

Capítulo 29. The Past



Assim que adentrou em casa, Demi foi diretamente para o seu quarto, Sophia dormia em seus braços como um anjinho. Demi deitou a filha na cama, beijou a testa dela e a cobriu com a coberta. Ela sentou na cama, tirou os saltos e deitou ao lado da filha. Sua cabeça estava latejando e ela só pensava em uma coisa: seu beijo com Joseph! Céus, a forma como as mãos dele passearam pelo seu corpo cheio de desejo, incendiando cada pedacinho. A maneira carinhosa em como ele deitou sobre ela, o momento de carinho que eles trocaram. Era uma mistura intensa de sentimentos e ela se perguntava se Joseph estava se sentindo do mesmo jeito que ela. Demi fechou os olhos e reviveu cada pedaço daquele momento enquanto pode.

— Demi. — Miley lhe chamou interrompendo seus pensamentos. Ela suspirou e abriu os olhos. — Estou te chamando à horas, mulher. — Disse dramaticamente, ela deitou ao lado da irmã e abriu um dos bombons que estavam na caixa que ela tinha ganhado de Liam. — O que está acontecendo? Você está tão distante. — Demi pegou o bombom já mordido da mão da irmã e colocou na boca.

— Eu e Joseph nos beijamos. — Disse com a boca cheia, o queixo de Miley caiu e ela arregalou os olhos. — Duas vezes. — Suspirou e pegou mais um bombom trufado, aquilo era bom. 

— E você me fala assim como se não fosse nada demais? — Disse boquiaberta, dois beijos já era um grande passo e Demi agia como se não fosse nada demais. 

— Eu não sei o que pensar sobre isso tudo, Mi. Ele me beija, corresponde cada segundo mas depois volta pra Elisa como se nada tivesse acontecido, sabe? Eu não consigo entender, ele me julga, me acusa e fica na defensiva, mas a forma como ele me beija é tão intensa, sabe? É tão... especial. — Miley sorriu e alisou o cabelo da irmã assim que ela encostou a cabeça em seu ombro. — Eu não sei o que fazer, me ajuda. 

— Joe age assim porque ainda está magoado com tudo o que aconteceu entre vocês, é por isso que ele fica na defensiva mas ele te ama e acaba se entregando quando rola o clima entre vocês. Você só precisa curar toda a mágoa que ele sente. 

— Eu fico tão magoada quando ele volta pros braços da Elisa como se nada tivesse acontecido. Dói muito ver o cara que você ama nos braços de outra. — Disse sentindo uma lágrima descer pela bochecha, ela limpou rapidamente e suspirou.

— Vocês vão superar isso e vão ser felizes, você já sabia que não seria fácil e por isso não vai desistir agora.

— Eu não quero me desgastar com isso, não sei se eu vou ter forças o suficiente. Eu vou tentar mas se eu não tiver retorno nenhum, vou focar em mim e na minha filha, não tenho a vida toda pra esperar por ele. 

— Você é forte e nunca desistiu do que quer, não vai ser agora que você vai desistir. A máscara da Elisa vai cair e aí o caminho vai estar livre pra você. — Miley sorriu e beijou a bochecha da irmã.

— Eu amo você. — Demi disse sorrindo, o que faria sem Miley para lhe apoiar nos momentos difíceis?

— Como foi beijar Joseph depois de quase dez anos? — Miley perguntou maliciosa e Demi riu escondendo o rosto no pescoço da irmã.

— Foi maravilhoso! O primeiro beijo foi delicado, como na primeira vez. — Disse com as bochechas coradas. — E o segundo foi mais intenso, a maneira como ele me tocou, céus, eu teria cedido ali mesmo... Ele ainda tem uma pegada como ninguém! — Falou mordendo o lábio inferior, Miley gargalhou e fez uma careta.

— Foi no escritório? — Demi assentiu e fechou os olhos revivendo cada momento. — Se algo acontecer naquele sofá por favor me avisa, eu tiro uma soneca ali toda tarde.


Casa do Paul, 01:30 da manhã.



Joseph estava na casa do pai. Ele estava deitado em sua cama no seu antigo quarto mas não conseguia pregar os olhos, já havia rolado várias e várias vezes na cama mas todas suas tentativas de dormir foram em vão. Toda vez que ele fechava os olhos, tudo o que ele pensava era naquele maldito beijo. O jeito que suas mãos tocaram automaticamente o corpo dela, como se tivesse sentido falta daquilo e de fato ele sentiu, não podia mentir para si mesmo! Seus lábios ainda se encaixavam perfeitamente e era como se nada tivesse mudado, como eles ainda fossem feito um para o outro. O que estava acontecendo com ele? Como ele pode se deixar levar tão facilmente? Sua cabeça dava voltas e voltas e chegava a latejar. Joseph levantou da cama, calçou seu chinelo e desceu em direção à cozinha mas parou assim que viu Paul encostado em dos balcões da cozinha com uma xícara na mão.

— O que faz acordado? — Joe perguntou cruzando os braços, ele encostou em um dos balcões ficando de frente para o pai. 

— Eu estava sem sono. — Deu os ombros. Joe apenas assentiu e virou-se para pegar uma xícara. — Filho... — Paul o chamou colocando sua xícara sob o balcão. — Dianna me ligou agora pouco e conversou comigo, ela está preocupada com Demi e eu estou preocupado com você. Me diga, vocês estão reatando? 

— Não, claro que não. Eu estou com Elisa. — Paul suspirou e massageou as têmporas. Ele sabia bem o que estava acontecendo e assim como Dianna, temia ao que poderia acontecer caso eles ficassem naquele joguinho. 

— Você está com Elisa mas fica beijando Demetria no escritório? — Joe franziu o cenho e suspirou, como ele sabia? Inferno, Demetria não conseguia ficar de boca fechada? — Dianna escutou ela conversando com Miley. Você acha certo estar com Elisa e ficar beijando a Demi por ai?

— Eu e Elisa temos uma relacionamento aberto. — Deu os ombros e bebeu um pouco do café que estava na xícara.

— Mas e Demetria, Joseph? Você acha certo fazer o que está fazendo? Se você não gosta dela, não sente nada por ela e acha que vocês não vão ter um futuro juntos, não fique alimentando as esperanças dela! Você vai quebrar o coração dela e eu sei que você não é esse tipo de cara.

Ela quebrou o meu. — Ele disse aquilo na maior tranquilidade do mundo. Paul o encarou e cruzou os braços, ele estava fazendo aquilo por vingança? — A questão não é essa, já deixei claro pra Demetria que não quero nada com ela mas ela não fica longe. Tenho certeza que tudo isso é fogo de palha, eu conheço Demetria e ela quer foder comigo igual fodeu o relacionamento dela com aquele riquinho de Nova York.

— Dianna gosta de você como um filho, se você machucar Demetria, irá machucá-la também, pensa bem nas suas atitudes. Eu tenho certeza, Joseph, que você ainda sente algo por ela, se você não sentisse não entraria nesse joguinho. Eu não te criei pra isso, filho. Não te criei pra ser uma pessoa vingativa. Você já é um homem e está na hora de tomar uma decisão, não pensando no agora mas no seu futuro. Não magoe Demetria porque ela te magoou um dia, não faça o que você pode se arrepender depois.

— Eu não sinto nada pela Demetria e se eu quebrar o coração dela não farei nada que ela não mereça.


DIA SEGUINTE.
11:30 da manhã, Jray bistrô.



Miley secou as mãos num pano de prato e saiu imediatamente da cozinha logo após Harry avisá-la que ela estava sendo convocada para uma reunião de emergência. Assim que ela chegou no salão aonde ficava as mesas, franziu o cenho ao ver Selena, Chole e Josh sentados em uma das mesas no fundo do bistrô. Miley caminhou até lá e cruzou os braços. — Posso saber que merda está acontecendo aqui? — Ela arrastou uma cadeira e sentou ao lado de Selena.

 — Finalmente você chegou. — Chole disse dando um gole no seu suco natural de maracujá. — Nós precisamos de você para a nossa "operação cupido". — Miley arqueou a sobrancelha e se acomodou melhor na cadeira.

— Operação cupido? — Chole assentiu animada e Miley olhou para Joshua. — E o que esse idiota tem haver com isso? — Perguntou irônica. 

— Esse idiota é muito importante, afinal, ele participou daquela noite e sabe melhor que ninguém o que aconteceu. 

— Pelo menos uma vez na vida vai servir pra algo. — Disse provocativa e sorriu cínica. Josh sorriu e mordeu um pedaço do seu bolinho sem se importar com as provocações da ex, ele se divertia com aquilo.

— Obrigada pela parte que me toca! — Selena riu baixinho e Miley lhe olhou carrancuda. Assim como Josh, Selena se divertia com aquelas briguinhas bobas deles, sabia que Miley o tratava assim apenas para provocá-lo. 

— Podemos focar? — Chole perguntou revirando os olhos.

— Eu ainda não entendi o motivo dessa reunião. — Selena perguntou encarando Chole. A mulher sorriu e jogou os cabelos longos e pretos para o lado.

— Joseph e Demetria! — Disse simplesmente. — Acho que já está na hora de Joseph saber quem Elisa realmente é, fiquei sabendo que eles tem um relacionamento aberto e nós precisamos agir antes que isso vire algo sério porque se virar vai ficar ainda mais difícil ajudar a Demi.

— Eu ainda acho que deveríamos deixar Joseph se foder sozinho. — Josh falou dando os ombros e acabou recebendo um tapa de Chole. — Ai! — Reclamou revirando os olhos.

— E o que vamos fazer para ajudá-los? — Selena perguntou

— O primeiro passo é contar toda a verdade para Joseph e... — A porta do bistrô foi aberta e Joe adentrou de mãos dadas com Elisa. Todos os olhares foram direcionados à eles. Elisa agarrou o braço de Joseph e suspirou, ela sabia o que eles estavam fazendo. Os dois caminharam até o escritório e Joe teve que respirar fundo antes de abrir a porta, aquele ato não passou despercebido por Elisa. Assim que entrou no escritório, Joe não sentou no sofá como de costume, ele foi direto para sua mesa.

— Nunca pensei que Selena fosse ficar contra mim. — Elisa disse suspirando.

— Ela não está contra você. — Falou indiferente, fazia tempo que ele não falava com Selena. Desde a briguinha idiota que tiveram, ele sentia falta da sua amiga.

— Não? Você viu como eles me olharam? Tenho certeza que estavam falando mal de mim. — Joe não disse nada, apenas sentou em volta a sua mesa e ficou encarando o nada, ele estava de saco cheio de tudo, queria mandar Elisa ir embora e ficar sozinho apenas com seus pensamentos mas a culpa do que tinha feito não deixava. 

Não magoe Demetria porque ela te magoou um dia, não faça o que você pode se arrepender depois.

 As palavras do seu pai ecoavam em sua mente, no começo de tudo ele queria que Demetria pagasse por tudo o que lhe causou mas agora não tinha tanta certeza sobre isso, sabia que seu pai tinha razão, ele se arrependeria caso fizesse Demetria sofrer. — Joe, eu estou falando com você! — Elisa disse próxima à ele. Joe sorriu sem graça e a puxou para sentar em seu colo. — Está acontecendo alguma coisa com você? Eu sinto que você está tão distante. 

— Não é nada demais. — Joe encarou o sofá e as lembranças da noite anterior tomou conta da sua memória, rapidamente ele desviou o olhar e encarou Elisa. — Eu tenho... — A porta foi aberta bruscamente. Ele franziu o cenho quando Demi adentrou em passos firmes em sua sala. Ela estava vestida com roupas pretas e um casaco de lã vermelho por cima, era incrível como ela conseguia ser sexy vestindo um simples jeans.

— Essa quantia deve cobrir todas as despesas que você teve com o bazar. — Ela se aproximou e jogou um envelope na mesa, em nenhum momento Demi encarou Elisa. Pelo olhar dela, Joe soube que Demi estava chateada com ele, mas o que poderia fazer? 

— Eu disse que não iria cobrar de você.

Eu não quero nada que venha de você, eu trabalho e tenho dinheiro suficiente pra pagar pelas minhas despesas. — Demi deu as costas e foi embora sem olhar para trás. Se Joseph queria guerra, ele teria guerra!

— Mulherzinha prepotente essa, faltou jogar na nossa cara que é rica. — Elisa disse fazendo careta. Joe suspirou e fechou os olhos sentindo sua cabeça latejar, precisava sair daquela situação. Elisa levantou do colo dele assim que bateram na porta, ele permitiu a entrada e franziu o cenho quando Selena adentrou na sala com alguns papéis nas mãos.

— Com licença, Miley pediu para que eu entregasse isso pra você. — Ela sorriu fraco e entregou os papéis para Joseph. Fazia quase um mês que eles não se falavam e ela sentia falta do seu amigo.

— Será que a gente pode conversar? — Selena assentiu prontamente, Elisa se aproximou dele, lhe deu um selinho e saiu deixando os dois à sós. — Eu quero te pedir desculpas por tudo o que eu te falei naquele dia, você é minha amiga e só estava preocupada comigo. Eu sinto muito, Sel. Um mês sem você é o meu limite, eu estou enlouquecendo sem seus conselhos e seus puxões de orelha. — Selena riu baixinho e balançou a cabeça.

— Também senti sua falta e peço desculpas por me intrometer na sua vida. — Joe levantou e foi até Selena a abraçando, eles eram amigos há muito tempo e um mês sem ela era demais, ele aproveitou aquele abraço e começou a desabafar, sabia que Selena lhe ouviria sem lhe julgar.

— Demetria está fodendo comigo, Sel. — Suspirou e separou o abraço para olhá-la nos olhos. — Desde que ela apareceu na minha casa eu não sou mais o mesmo, eu não consigo ter paz e não paro de pensar nela. Eu estou perdendo o controle aos poucos e sei que se isso não acabar eu vou me entregar de cabeça nessa merda toda.

— A questão é: você quer que isso acabe, Joe? — Joe fechou os olhos e suspirou, ele queria que aquilo acabasse? Perguntou para si mesmo. — Mesmo ficando um mês longe, eu percebi sua mudança nesse ultimo mês e sim, eu sei o motivo disso tudo, e tenho certeza que você sente alguma coisa pela Demi, por mais que você negue, você sabe que eu e todos que afirmam isso tem razão, se você não sentisse nada por ela, seria bem mais fácil acabar com tudo, seria bem mais fácil resistir à ela.

— Eu não quero, Selena! Eu não quero sentir nada por ela. — Selena mordeu o lábio inferior para não esbanjar um sorriso, Joe estava assumindo que sentia algo pela Demi e isso já era um passo, um grande passo.

— Porque você não quer, Joe? Deixa toda raiva e mágoa do passado ir embora e permita-se ser feliz. Você já passou por tanta coisa, já teve demais por uma vida inteira, não acha que está na hora de ser feliz? Eu sei que a Demi pode trazer a felicidade plena que você tanto quer. Acredite em mim, você não é o único magoado nessa história toda, ela também está sofrendo. — Joe suspirou e encostou a cabeça no ombro da amiga, Demi também estava sofrendo? Ele queria saber mais mas não ousou perguntar, ela não parecia estar sofrendo quando entrou na sala mais cedo. Ele fechou os olhos e suspirou novamente quando sentiu os dedos de Selena adentrarem seu cabelo. — Porque você não tira o dia pra fazer algo pra si mesmo? — Joseph levantou a cabeça e encarou Selena confuso. — Não me olha assim, você parece abatido, deveria ir fazer algo que te faz bem.

— Ultimamente eu já nem sei o que me faz bem.

— Talvez você devesse, sei lá... ir ao orfanato? Você sempre ia lá conversar com as irmãs e com as crianças, faz tempo que você não aparece, acho que isso te faria bem. — Ele sorriu e assentiu, Selena tinha razão; fazia tempo que ele não ia até lá, lhe fazia muito bem conversar com as irmãs que lhe pegaram no colo, com as crianças e adolescentes que viviam por lá.

— Você tem razão, Sel. — Joe levantou e pegou sua carteira em cima da mesa colocando-a no bolso traseiro da calça. — Acho que eu realmente preciso me distrair, amo você e Nicholas é um filho da mãe sortudo por tê-la. — Selena riu e Joseph saiu apressado da sala, ela passou a mão pelo cabelo e saiu da sala logo em seguida. 

— E aí, conseguiu? — Rapidamente Chole e Miley lhe rodearam. Selena assentiu e as duas pularam batendo palmas. Elisa observava de longe as três conversando animadamente, Joseph havia acabado de sair do bistrô apressado e ela se perguntava se tinha algum dedo delas no meio daquilo tudo.


***


Joe dirigia rapidamente pelas ruas de Nashville, o orfanato ficava no centro e era um pouco longe. Assim que chegou, ele estacionou a moto e apertou o botão do interfone, se identificou e rapidamente os portões foram abertos. Joe guardou a chave da moto no bolso e sorriu ao ver a Tia Lucy ir de encontro à ele. 

— Ah Joseph, querido. — Ela disse sorridente. — Há quanto tempo você não aparece? — Eles se abraçaram e Joe beijou-lhe a testa. Lucy era uma mulher de idade, os cabelos brancos já estavam ficando visíveis e ela trabalhava no orfanato há muito tempo.  

— Eu estive ocupado com algumas coisas e acabei ficando sem tempo, sinto muito. — Lucy assentiu e juntos eles começaram a caminhar até o jardim. — Como estão as coisas por aqui? 

— Está tudo indo perfeitamente bem, duas das nossas crianças foram adotadas essa semana e tem um moça linda lá no pátio conversando com as crianças, eu não sei se ela está interessada em adotar mas ela é muito simpática e as crianças estão adorando ela. — De longe, Joe conseguiu ouvir as gargalhadas alta das crianças. Ele sorriu e lembrou-se de como adorava quando alguém ia visitá-los. Joe subiu as escadinhas que dava entrada para o pátio e franziu o cenho quando viu a mesma mulher que estava no bistrô encostada na porta. — Joe, essa é Cristina. — Lucy os apresentou. — Ela é assistente social e está trabalhando conosco. 

— É um prazer conhecê-lo. — Cristina apertou a mão dele e sorriu. Aquele sorriso lhe parecia tão familiar. — Se eu não me engano nos vimos no bazar, certo? — Joe assentiu ainda tentando vasculhar em sua memória de onde conhecia aquela mulher. — A sua mulher está fazendo um ótimo trabalho com as crianças, elas estão se divertindo muito. Vocês estão pensando em adotar?

— Vocês se casaram? Ela é a moça que você trouxe aqui uma vez quando eram adolescentes? — Lucy perguntou surpresa, ela não sabia que Joe havia casado e muito menos que aquela moça bonita era a antiga namoradinha de Joe. Joseph olhou para o lado e mordeu o lábio inferior, Demi estava sentada de costas e estava rodeada de crianças. 

— Nós não somos casados e não somos mais um casal, hoje somos apenas... conhecidos. 

— Sinto muito eu não sabia, eu vi vocês juntos com a bebê e pensei que eram uma família. — Cristina disse se desculpando. 

— Está tudo bem. — Joe falou sorrindo.


Flashback on


Demetria e Joseph caminhavam pelo gramado do orfanato de mãos dadas, algumas crianças caminhavam ao redor deles e faziam perguntas o tempo todo, principalmente as meninas que queriam saber a história de amor deles. — E nós já estamos juntos há dois anos e meio, esses dois anos tem sido os mais incríveis da minha vida, Joseph é um cara especial e eu tenho muita sorte em tê-lo na minha vida. — As garotas sorriram encantadas e Demi sorriu especialmente pra ele. Eles estavam contanto para as crianças como haviam se conhecido. — Quando vocês crescerem serão sortudas o suficiente para encontrar alguém como ele. 

— E quando vocês vão casar? — Laura, uma garotinha de cinco anos perguntou sorridente. Demi riu e beijou o topo da cabeça dela. 

— Acho que ainda somos muito novos para casar, mas quando acontecer vocês serão convidados, pode ter certeza. — Joe falou alisando o cabelo da garotinha e Demi assentiu em concordância. Joseph mostrou cada pedacinho do orfanato para Demi e as crianças ajudaram no tour pelo orfanato. Agora eles estavam no berçário, Demi observou todos aqueles bebês e não conseguiu conter a emoção, um pequeno garotinho começou a chorar e ela se aproximou. 

— Posso pegá-lo? — Tia Lucy assentiu sorridente e observou quando Demi pegou o pequeno Bernado nos braços, o garotinho parou de chorar e ela sorriu, Joseph e Demetria seriam bons pais. — Veja Joe, como ele é tão pequeno e indefeso, como uma mãe tem coragem de abandonar uma coisinha tão fofa e pequena? 

— As pessoas podem ser cruéis, amor. — Joe abaixou-se e pegou a pequena Laura nos braços. Demi olhou para o pequeno Bernado e para Joseph e Laura, ali ela imaginou o futuro com ele. Um futuro lindo, eles estariam casados e teriam vários e vários bebês. 

— Você será um ótimo pai. — Demi falou baixinho com um sorriso tímido no rosto. Joe sorriu e beijou a testa dela. 

— Joe, você pode pedi-lá em casamento. — Laura disse baixinho no ouvido dele, Joe riu e assentiu. Ele se abaixou, colocou Laura e no chão e segurou uma das mãos de Demetria. Demi olhou para ele com os olhos arregalados. 

— Joe, você é louco? O que está fazendo? 

— Aceita casar comigo? — Perguntou com um sorriso no rosto, aquilo tudo não passava de uma brincadeira e Demi sabia disso mas um dia se tornaria realidade e eles teriam uma linda família. 

— Sim, eu aceito. — As crianças bateram palmas e gritaram animadas. Demi sorriu envergonhada, sabia que Joseph fazia qualquer coisa pela felicidade daquelas crianças. 

— Agora vocês podem se beijar. — Joe riu e selou os lábios nos de Demetria em um selinho demorado, as crianças sorriam e gritavam animadas. Lucy sorriu enquanto observava os dois, eles esbanjavam amor e carinho. 

— Crianças se acalmem, não quero acordar os bebês. 

Flashback off


Joe sempre nos diz que podemos ser tudo o que quisermos, eu não tenho mais esperanças de ser adotada mas eu quando eu completar dezoito anos e sair daqui, eu quero conhecer cada pedacinho desse mundo, viajar pelo mundo, conhecer lugares novos e culturas diferentes, até conhecer o amor da minha vida. — Laura, que agora já estava com quinze anos disse sonhadora. Demi se lembrava dela, a garotinha sapeca que antes tinha apenas cinco anos, hoje era uma mocinha e logo, logo estaria uma linda mulher.

— Vocês realmente podem fazer e ser o que quiserem, basta acreditar nos seus sonhos e confiar em si mesmas. Crianças, na trajetória de vocês, muitas pessoas vão cruzar o caminho de vocês para dizer que vocês não são capazes, que não vão conseguir e pessoas que vão querer destruir tudo o que vocês estão construindo mas nunca, nunca percam o foco do que vocês realmente querem. Nunca pensem que vocês são um erro, vocês são especiais e estão aqui pra iluminar a vida de alguém, como uma pessoa que passou por aqui iluminou a minha

— Belas palavras. — Aquela voz grossa e rouca fez os pelos dos seus braços se arrepiarem. Ele estava atrás dela. As crianças levantaram animadas e abraçaram Joseph. Demi suspirou e o observou enquanto as crianças recebiam carinho de Joseph, ele ainda continuava o mesmo.

— Tio Joe, você demorou para voltar. — Bernardo que agora tinha dez disse abraçando a perna de Joseph. O garoto tinha os cabelos pretos e os olhos esverdeados como os de Joseph. Demi observou os dois e mordeu o lábio inferior, Joseph seria um ótimo pai e a mulher que o teria seria tão sortuda. 

— Eu sinto muito pela demora, eu estive com alguns problemas mas como o prometido eu estou de volta!

— Eu já estava preocupada com você, Joe. — Laura disse e o abraçou assim que ele se aproximou dela. — Dois meses sem aparecer, acho que esse foi seu tempo recorde. — Demi apenas observou o jeito que Laura olhava para Joseph, com tanta admiração e carinho, ela não a culpava por isso, ele era realmente encantador. 

— Tio, eu aprendi uma nova piada. — Bernado falou animado. — Toc, toc!!!

— Quem é?

— Repete... 

— Repete quem?

— Quem, quem, quem... — Demi gargalhou alto e Joe riu bagunçando o cabelo do garoto. As horas se passaram e os dois ficaram ali, conversando com as crianças, ouvindo cada sonhos e desejos deles. Joseph e Demetria trocavam olhares, naquele momento não havia raiva, mágoa ou dúvidas, apenas felicidade. Demi não conseguiu não se emocionar com algumas histórias, ela se perguntava como as pessoas podiam ser tão cruéis? Muitas histórias lhe fizeram lembrar de quando Sophia nasceu e da maneira como tratava sua garotinha, céus, como se arrependia! Depois de muito conversarem, eles fizeram um tour pelo orfanato, Demi chorou como um bebê ao visitar o berçário novamente, eram bebês tão pequenos e indefesos, ela se lembrou de quando caminhou com Joe de mãos dadas pelos corredores e pediu à Deus que momentos como aquele se repetissem muitas e muitas vezes. Por fim, eles brincaram de bola no jardim com as crianças, Demi era um desastre mas conseguiu fazer um gol e comemorou quando o time das garotas ganharam. 

— Os garotos não estão com nada. — Bea disse mostrando a língua para os garotos, Demi riu e pegou a garotinha de seis anos no colo. 

— As garotas ainda vão dominar o mundo. — Um dos garotos falou indignado e as meninas riram vitoriosas. Depois do jogo, as crianças foram para a sala de refeições almoçar e Demi aproveitou para conversar com Lucy e Cristina. Joseph estava ao lado dela e tudo o que ela queria naquele momento era sentir os braços dele em volta da sua cintura lhe abraçando apertado. Ela queria compartilhar aquele momento com ele, pois sabia como aquele orfanato era importante pra ele. 

— Todas essas crianças são maravilhosas, vocês fazem um ótimo trabalho com elas e tenho certeza que todas elas se tornaram pessoas maravilhosas, assim como Joseph se tornou. — Ela não o olhou ao dizer essa frase. Já Cristina olhava para Joseph como se existe apenas ele ali e Demi se perguntava qual era o problema daquela mulher, ela tinha idade pra ser mãe do Joe, maldito ciúmes. — Enfim, eu quero fazer uma doação de dez mil dólares para o orfanato, eu sei que o dinheiro vai ser bem gasto e espero que aceitem de coração. 

— Ah querida, eu não sei nem como te agradecer. — Lucy sorriu e abraçou Demi. — Esse dinheiro será muito bem vindo e investiremos ele nas crianças. Pessoas boas ainda existem no mundo, e eu sou muito grata à Deus e à você por tudo. — Em um instante as crianças invadiram o local batendo palmas e gritando animadas, elas correram até Demi e Joseph e os abraçaram. Demi acabou se emocionando novamente com todo aquele carinho, Joe sorriu e lhe abraçou de lado. Ela não se segurou e passou os braços em volta da cintura dele o abraçando fortemente, afundou a cabeça no peito dele e deixou as lágrimas descerem livremente molhando a camiseta cinza dele.


--

finalmente estou de volta, demorei mas como o prometido voltei ainda essa semana. 
depois de muito sacrifício e esforço o capítulo saiu, não sei se ficou muito grande mas espero que vocês gostem. como vocês puderam ver o squad já começou a trabalhar e está cada vez mais perto da máscara da Elisa cair, esse momento vai ser nosso, sim! 
vou tentar não demorar tanto pra postar o próximo, orem por mim.
respostas aqui & aqui | muito obrigada por todos os comentários e por toda paciência. 
vocês são demais. amo vocês. 


completamente apaixonada por essa música, por esse clipe. 
rainha é rainha, né mores? 


27 comentários:

  1. VOU COMENTAR ANTES DE LER SIM POXA EU IA COMENTAR O 28 E TU JÁ POSTOU O 29
    EU QUERO JEMI
    EU QUERO ELISA SE LASCANDO
    EU QUERO JOE TODO PAPAI BABÃO
    Agora eu irei ler LOL
    Talvez só comente sobre o capítulo depois, mas tenho certeza que está ótimo.
    P.S.: É Chloe ou Chole?
    Até depois :*)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. se eu não me engano você comentou o 28, amor. (:
      você vai ter tudo isso mais em breve do que imagina, só aguarde.
      tudo bem, é chole.
      até <3

      Excluir
  2. Aaaaaaanw 💟
    Eu retiro o que eu disso sobre os outros caps... esse foi o mais lindo! Meu preferido até agora, mas você sempre inova, não é? Sempre surpreende!
    Nao demora pra postar, é quase uma tortura!
    Continua tá, linda? 😘

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. fico muito feliz em saber que gostou, é um dos meus favoritos também.
      eu tento né, vocês gostam e isso me motiva cada dia mais.
      eu tento não demorar, eu juro mas tem sempre algo pra atrapalhada.
      vou postar no domingo, bjs

      Excluir
  3. Meu Squad,não vejo a hora da máscara dessa cobra caí e tem que ser bem feito,como uma pessoa é assim,esse capítulo foi muito lindo já pode se vê as coisas progredindo pro lado da Demi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nosso squad está vivíssimo.
      vai cair beeeeem em breve, eu juro.
      já estava na hora, né? depois de tanto sofrer, daqui em diante as coisas só vão melhorar pra ela.
      fixo feliz em saber que gostou. <3

      Excluir
  4. Squad em ação ❤❤❤❤❤👏👏👏 doreeeei
    Elisa é mais falsinha que minhas inimigas shuasjuasd .... Posta to amando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. um squad desses, bicho.
      Elisa é uma cobra e logo logo as coisas vão se complicar pro lado dela.
      vou postar domingo, fico feliz que esteja gostando.

      Excluir
  5. EU QUERO MEU "I AM: DEMI LOVATO" LOGO MDS


    olha aqui Joseph eu não quero vc iludido minha bb se for pra ser assim SAI DE PERTO KIRIDO

    a operação cupido começou E A MÁSCARA DAQUELA VADIA VAI CAIR OBRIGADO DEUS CHUPA ELISA FILHA DA PUTA

    Joe tá começando a admitir q ainda ama a Demi isso é um GRANDE PASSO 😊

    Demi e Joe quando jovens visitando o orfanato e parecendo uma família ai cara choremos, olha achei lindo o final eles abraçados e chorando juntos EU NÃO AGUENTO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MENINA NEM ME FALA, VOU CHORAR HORRORES, SÓ VEM!
      Joseph só pensa que vai iludir mas vai cair na própria armadilha, haha.
      a máscara da Elisa tá cada vez mais próxima de cair, tô tão ansiosa quanto vocês, só bem.
      sim menina, as coisas finalmente estão avançando.
      eu também, até me surpreendi quando escrevi, foi algo espontâneo e escrito em cima da hora, fico feliz que tenha dado certo.

      Excluir
  6. Mds Demi e Joe no orfanato e o squad na operação cupido ameii
    Vai ter nemi???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. fico feliz em saber disso.
      vai ter momento pequenos entre os dois, tô pensando num momento entre eles ainda, bjs.

      Excluir
  7. OMG! Q capitulo maravilhoso. Posta logo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. fico feliz que tenha gostado.
      vou postar domingo,bjs

      Excluir
  8. Meu Deus quero momento Jemi �� cadê vc?? Posta logo pfv

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. muuuuuuitos momentos jemi vem por aí.
      sinto muito pela demora mas tô com um bloqueio fodido.
      vou postar domingo, bj

      Excluir
  9. Respostas
    1. vou postar domingo, sinto muito pela demora

      Excluir
  10. Ansiosa pelo próximo eps. N me de ansiedade

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vou postar domingo, orar por mim.

      Excluir
    2. Orarei sim, espero que esse bloquei vá embora logo e que tudo certo na sua vida. Deus na frente sempre.vc é muito talentosa n deixe esse brilho apagar pq o que vc escreve serve de ajuda pra muitas pessoas.

      Excluir
  11. A tua fic é incrível ,uma pena que vc nao tenha tempo para postar . nao desiste. preciso saber o final dessa linda história .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigado pelo carinho.
      os dias estão cada vez mais corrido e o bloqueio não ajuda a colaborar.
      pode ficar sossegada que eu não vou desistir, posso demorar pra postar mas desistir não é uma opção.
      bjs

      Excluir